Início B4 WTTC: risco da pandemia deve ser definido por viajantes e não por...

WTTC: risco da pandemia deve ser definido por viajantes e não por países

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) defende que os governos de todo o mundo devem abandonar o conceito de ‘países de alto risco’ e concentrar-se em como tratar ‘viajantes de alto risco’ individuais nas fronteiras.

De acordo com o WTTC, redefinir o risco para viajantes individuais será a chave para a retoma de uma viagem internacional segura. Assim, destaca a necessidade de um consenso internacional para estabelecer um sistema de avaliação de risco.

– “Não podemos continuar a rotular países inteiros como de ‘alto risco’, o que significa que todos estão infectados. Embora o Reino Unido esteja a enfrentar altos níveis de infecção, está claro que nem todos os britânicos estão infectados. O mesmo vale para todos os americanos, espanhóis ou franceses ”, afirma Gloria Guevara, presidente e CEO do World WTTC. Por esse motivo, esta organização insta os governos de todo o mundo a mudar a sua abordagem e redefinir o risco para se concentrar nas pessoas de ‘alto risco’.

– “O risco baseado em países inteiros não é eficaz nem produtivo. Em vez disso, redefinir o risco para viajantes individuais será a chave para a retoma de uma viagem internacional segura. Temos de aprender com as experiências e crises do passado, como 11 de Setembro ”, diz Guevara.

Nesse sentido, a executiva destaca que é conveniente utilizar uma metodologia comum e implementar um sistema de teste abrangente, fazendo uso da tecnologia, o que garantiria que apenas os afectados fossem obrigados a quarentena, enquanto os viajantes com resultados negativos podem gozar as suas férias, sempre seguindo os protocolos de higiene e segurança estabelecidos para se protegerem do coronavírus. “Um programa de testes abrangente será menos caro do que o custo de quarentenas gerais, indica Guevara.

O modelo que está a ser seguido agora “não só estigmatiza uma nação inteira , mas também interrompe as viagens e a mobilidade, quando muitas pessoas com teste negativo na saída e chegada podem viajar com segurança sem exportar o vírus”, acrescenta.

– “Devemos aprender a viver com o vírus, pois levará muito tempo para vacinar a população mundial. É por isso que o WTTC há muito defende a introdução de um teste abrangente e económico de embarque e desembarque para todos”destacou, para reafirmar que “além de garantir que as pessoas estejam seguras e saudáveis, devemos também garantir a saúde da economia mundial e reactivar os 174 milhões de empregos no sector afectado por esta pandemia devastadora”.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter