Início B4 WTTC quer reforço das medidas para evitar mais contágios

WTTC quer reforço das medidas para evitar mais contágios

O WTTC, Conselho Mundial de Viagens e Turismo, convidou todos os governos e empresários a fortalecer os protocolos de biossegurança e evitar o aumento de infecções e maiores impactos na indústria do turismo.

O WTTC considera necessário dar continuidade à prática e promoção de protocolos globais de higiene e saneamento, que incluem medidas básicas, como uso de máscaras, aplicação de álcool gel e distanciamento social.

Particularmente, em viagens e turismo, os protocolos de biossegurança foram criados e adoptados para garantir a segurança dos viajantes e reconquistar sua confiança. Além disso, é uma prática que beneficia directa e indirectamente quem depende do turismo.

Por outro lado, o organização mundial tem defendido a aceleração dos processos de vacinação contra a covid-19, a fim de promover a reabertura do sector de viagens e turismo.

Da mesma forma, assegurou que o reconhecimento recíproco de todas as vacinas aprovadas será fundamental para o reinício das viagens internacionais.

A ser possível, esse reconhecimento daria aos turistas e viajantes a confiança de que precisam para reservar viagens, voos e cruzeiros, com a certeza de que seu status de vacinação completo será reconhecido internacionalmente.

O WTTC considera que o trabalho entre os sectores público e privado é fundamental para a promoção e prática de protocolos de higiene e saneamento padronizados, que sejam claros e estejam em permanente observância.

De igual modo, a responsabilidade conjunta por parte dos viajantes e da população em geral irá mitigar os níveis de contágio e impulsionar a recuperação global da actual crise de saúde.

O impacto devastador da pandemia eliminou milhões de empregos e viu a sua contribuição para o PIB cair.

De acordo com o último Relatório de Impacto Económico do WTTC, durante 2020, as Viagens e Turismo contribuíram com 5,5% para o PIB mundial, uma queda de 4,9% em relação a 2019. Além disso, registou-se a perda de mais de 62 milhões de empregos no sector.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMOSiga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter