Início B4 Viagens aéreas na Europa atingem menos de 40% dos níveis de 2019

Viagens aéreas na Europa atingem menos de 40% dos níveis de 2019

Uma nova pesquisa da ForwardKeys revela que as viagens aéreas para destinos europeus em Julho e Agosto atingiram 39,9% dos níveis pré-pandêmicos. Nesta lista Lisboa ficou-se por uma recuperação de Lisboa 43,5% face a 2019, mesmo assim, acima do nível europeu.

Trata-se, segundo a ForwardKeys, a uma melhoria em relação ao período comparável do ano passado (26,6% dos níveis de 2019), quando a pandemia da Covid-19 causou bloqueios generalizados e as vacinas ainda não tinham sido aprovadas. O analista de dados de viagens observou que as perspectivas não estão a melhorar, já que as reservas diminuíram no final do período de Verão.

Neste Verão, a Grécia (país que se destacou entre os destinos turísticos europeus em Julho e Agosto, transmitindo uma mensagem clara e consistente aos potenciais visitantes sobre quem poderia entrar no país) teve o melhor desempenho, alcançando 86% das reservas de Julho e Agosto de 2019, seguido pelo Chipre com 64,5%, Turquia 62% e Islândia 61,8%.

A ForwardKeys observou que a Grécia e a Islândia foram um dos primeiros países a anunciar que aceitariam visitantes que tivessem sido totalmente vacinados, poderiam apresentar um teste PCR negativo ou poderiam apresentar prova de recuperação da Covid-19.

Os países que tiveram pior desempenho na Europa durante o Verão foram os que mais dependem do turismo de longa distância, como França e Itália, e os que impuseram as restrições de viagens como o Reino Unido, que alcançou apenas 14,3% de 2019 das chegadas em Julho e Agosto.

Excluindo as companhias aéreas de baixo custo, os voos intra-europeus representaram 71,4% das chegadas, em comparação com 57,1% em 2019.

A queda acentuada nos visitantes de longo curso, que normalmente ficam mais tempo, gastam mais e focam a sua atenção nas cidades e nos pontos turísticos, foi sublinhada nas classificações dos destinos locais com melhor e pior desempenho.

Londres ficou no final da lista das cidades europeias mais movimentadas, com apenas 14,2% das chegadas de 2019. Esta lista foi encabeçada por Palma de Maiorca, que atingiu 71,5% dos níveis de 2019 e Atenas com 70,2%. As seguintes cidades principais com melhor desempenho foram Istambul com 56,5%, Lisboa 43,5%, Madrid 42,4%, Paris 31,2%, Barcelona 31,1%, Amesterdão 30,7% e Roma 24,2%.

No que respeita a países, as quebras mais acentuadas, para além do Reino Unido, destacam-se a Irlanda, Rússia e Alemanha que não chegaram aos 30% quando comparado com 2019.

A ForwardKeys diz ainda que Portugal, destino favorito dos turistas britânicos, sofreu quando o Reino Unido mudou a sua designação de verde para âmbar em Junho.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMOSiga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter