COMPARTILHE

Lisboa, 4 de Junho – A crónica de hoje versa sobre uma outra cidade cubana: Varadero. O local perfeito para quem simplesmente descansar. O dolce fare niente impera a par de algumas actividades náuticas.

Água transparente e temperaturas quentes. Estas são as duas características que mais identificação Varadero. Uma cidade turística, dominada pelos resorts (normalmente de regime all inclusive), onde a música e a boa disposição convivem alegremente com o silencia (mesmo que, por vexes, temporário).

E há locais para todos os gostos. Resorts com arquitectura mais tradicional ou mais moderna, locais criados a pensar nas famílias ou, pelo contrário, onde crianças não entram, restaurantes de gastronomia internacional ou tradicional. O certo é que é muito fácil descontrair e esquecer a pressão associada a ambientes de trabalho.

O que me surpreendeu, pela positiva, em Varadero não foi a transparência e a temperatura da água. Foi também a preocupação em ter actividades pensadas de acordo com o perfil específico do turista. Por exemplo, visitámos um resort só para adultos. A meio do dia houve uma festa de espuma. Acompanhada de muita música. Se isso poderia ser feito com crianças? Talvez, mas teria de haver outros cuidados, nomeadamente de segurança.

Por tudo isso Varadero é uma cidade onde gostaria de voltar. Mas com mais tempo. A lazer. Para desfrutar, plenamente, não só do sol, da água, mas também dos serviços.

Alexandra Costa