Início B5 Vacinas e reabertura de fronteiras na base da recuperação turística

Vacinas e reabertura de fronteiras na base da recuperação turística

O turismo internacional começou a revelar sinais de recuperação em Junho e Julho de 2021, quando alguns destinos abrandaram as restrições às viagens e a vacinação avançou por esse mundo fora.

De acordo com a última edição do Barômetro Mundial do Turismo da OMT, estima-se que 54 milhões de turistas cruzaram as fronteiras internacionais em 2021, o que representa 67% a menos que no mesmo mês de 2019, mas, mesmo assim, são os melhores resultados desde Abril de 2020.

Refira-se que este número é comparável aos 34 milhões de chegadas internacionais registradas, segundo estimativas, em Julho de 2020, embora ainda esteja bem abaixo dos 164 milhões registrados em 2019, o grande ano do Turismo.

Maioria dos destinos com recuperação moderada

A maioria dos destinos que anunciaram os seus dados de Junho e Julho de 2021 tiveram uma recuperação moderada nas chegadas internacionais em comparação com 2020.

No entanto, 2021 continua sendo um ano muito difícil para o turismo global, com diminuição das taxas internacionais das chegadas de cerca de 80% entre Janeiro e Julho em comparação com 2019.

Todas as regiões assinalam quedas

A região Ásia-Pacífico continuou a ter o pior desempenho no período de Janeiro a Julho, com uma queda de 95% nas chegadas internacionais em comparação com 2019.

Por sua vez, o Oriente Médio (-82%) registou a segunda maior queda, seguido pela Europa e África (ambas com -77%).

A região das Américas (-68%) experimentou um declínio comparativamente menor, com o Caribe sendo a sub-região com melhor desempenho no mundo. Enquanto isso, algumas pequenas ilhas no Caribe, África, Ásia e Pacífico, junto com alguns pequenos destinos europeus, tiveram melhor desempenho em Junho e Julho, com chegadas próximas ou até mais altas do que antes da pandemia.

A confiança nas viagens aumenta lentamente

A melhoria é sustentada pela reabertura de vários destinos para viagens internacionais, especialmente na Europa e nas Américas.

O relaxamento das restrições para viajantes vacinados, juntamente com o progresso na administração das vacinas covid-19, contribuíram para aumentar a confiança do consumidor e restabelecer gradualmente a mobilidade segura na Europa e em outras partes do mundo.

Todavia, a maioria dos destinos asiáticos permanece fechada para viagens não essenciais.

Receitas e proveitos turísticos

Embora os destinos continuem a apresentar baixa receita de turismo internacional nos primeiros sete meses de 2021, são vários os que apresentaram uma melhora modesta em Junho e Julho, com alguns até mesmo ultrapassando a receita de 2019.

O mesmo pode ser dito para as viagens de ida, sendo que entre os grandes mercados, a França (-35%) e os Estados Unidos (-49%) tiveram uma melhora significativa em Julho, embora os gastos com turismo permaneçam bem abaixo dos níveis de 2019.

Olhando para o futuro

As perspectivas para Setembro-Dezembro de 2021 permanecem mistas, de acordo com a última pesquisa do Painel de Especialistas da OMT, na qual 53% dos especialistas acreditam que o período será pior do que o esperado.

Apenas 31% dos especialistas prevêem melhores resultados até o final do ano.

A pesquisa também mostra que os profissionais ainda esperam uma recuperação quando a procura reprimida por viagens internacionais for divulgada em 2022, principalmente durante o segundo e terceiro trimestres.

Quase metade dos especialistas (45%) ainda acredita que o turismo internacional não retornará aos níveis de 2019 até 2024 ou mais tarde, enquanto 43% prevêem que a recuperação ocorrerá em 2023.

Por região, a maioria dos especialistas que espera um retorno aos níveis de 2019 em 2024 ou mais tarde acontecerá na Ásia e no Pacífico (58%).

Na Europa, metade dos pesquisados ​​indica que isso acontecerá em 2023.

O Oriente Médio é a região mais optimista, com projeções de recuperação total em 2022.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter