Início Opinião/Crónica UE: não às quarentena depois da abertura de fronteiras

UE: não às quarentena depois da abertura de fronteiras

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que participou recentemente na reunião informal de ministros dos Assuntos Internos da UE, afirmou que os Estados-membros da União Europeia (UE) não devem impor situações de quarentena interna depois da reabertura das fronteiras, prevista para 01 de julho.

Eduardo Cabrita destacou que Portugal considera que não devem ser aplicadas dentro da UE situações de quarentena interna, porque elas têm uma natureza injustificada do ponto de vista sanitário e potencialmente discriminatória.

Nesta reunião, a Comissão Europeia recomendou a manutenção, até 01 de julho, das restrições aos voos não essenciais para países que estejam fora da UE.

De acordo com o ministro da Administração Interna de Portugal, a decisão de alguns países sobre a imposição de quarentena pesa também na decisão de reabrir ou não as fronteiras terrestres e de retomar as ligações aéreas e recordou que os voos para Itália vão continuar limitados enquanto o país mantiver este tipo de medidas e no caso do Reino Unido, que já não faz parte da UE, o Governo quer negociar com o executivo britânico um regime de excepção.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter