Início Opinião/Crónica Terminal 3 de Lisboa ou Novo Aeroporto em Tancos

Terminal 3 de Lisboa ou Novo Aeroporto em Tancos

COMPARTILHE

É certo que o número de turistas que escolhem Portugal não pára de aumentar, e a circulação internacional de mercadorias é cada vez maior.

É incerta a adaptação da Base aérea do Montijo num prazo de tempo conveniente, e é de duvidosa eficácia em termos de segurança de voos. É complicado o transporte Montijo-Lisboa.

Tancos tem uma centralidade privilegiada em relação a outras opções, a menos de 2Km da A23, que liga A1 e A13, às Beiras, a Espanha, a uma hora de distância para Lisboa em comboio ou de, de automóvel; a poucos minutos do  Terminal Multimodal do Vale do Tejo.

A adaptação da Base Aéreas de Tancos ao tráfego aéreo civil é um factor de união dos presidentes dos 13 municípios que constituem a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) superior a qualquer ideologia politica.

A sua adaptação será a eliminação das assimetrias regionais.

No passado dia 05 de fevereiro, teve lugar no Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha  o primeiro debate publico sobre as potencialidades e debilidades de Tancos , que será seguido por outros para o estudo de argumentos a apresentar ao Poder Central.

A directiva do governo da Holanda que decidiu retirar os voos low cost do Aeroporto de Schipol para os aeroportos secundários periféricos que tinham pouco movimento, a estrema dificuldade técnica na execução de trabalhos de adaptação do Montijo, a nidificação no estuário do Tejo e os perigos que as aves apresentam para a segurança aérea foram motivos inspiradores dos pilotos de linha aérea João Roque e Paulo Soares, e do Presidente Executivo da Associação dos Transitários de Portugal, António Nabo Martins, s convidados da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, para este primeiro debate  moderado pelo Presidente da Câmara, Fernando Freire.

Presentes na plateia os presidentes Fernanda Asseiceira (Alcanena), Anabela Freitas (Tomar), Miguel Borges (Sardoal), Vasco Estrela (Mação), Manuel Jorge Valamatos (Abrantes), Sérgio Oliveira (Constância), Paulo Neves e (Ferreira de Zêzere), Ricardo Aires (Vila de Rei) – numa clara demonstração de união em torno desta causa.

Presentes também outros autarcas, munícipes, empresários, militares, dirigentes das associações culturais e desportivas e jornalistas.

Texto e fotos: Pérsio Basso