Início B2 TAP: recusado mas ainda em aberto o acordo de emergência

TAP: recusado mas ainda em aberto o acordo de emergência

Numa carta enviada aos associados o SITAVA – Sindicato dos Trabalhadores e Aviação escreveu que as longas maratonas negociais que temos mantido estão a dar frutos e por isso vos transmitimos que, embora não esteja já fechado um acordo, existem fundadas esperanças de que este possa ser alcançado nas próximas horas, evitando assim o pior. Ou seja, o sindicato afirma que está aberto à possibilidade de se alcançar um acordo colectivo de emergência.

Recorde-se que o SITAVA pertence ao grupo de sete sindicatos representativos do pessoal de terra da TAP que anunciaram na passada quarta-feira o fim das negociações com a administração da empresa no sentido de se alcançar um acordo colectivo de emergência, sem entendimento.

O acordo de emergência suspende várias cláusulas do Acordo de Empresa (AE) em vigor e terá efeitos até 31 de Dezembro de 2024, ou até à celebração e implementação de um novo AE.

O sindicato explica ainda que tem mantido intensos contactos com a administração da TAP no sentido de tudo fazer para evitar a instauração de um regime sucedâneo das condições de trabalho.

Entretanto, prosseguem ainda as negociações com o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA), o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (Sttamp) e o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes, Manutenção e Aviação (Stama).



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter