COMPARTILHE

Porto Santo, 7 de Junho – O convite era irrecusável. Não só pelo local – Porto Santo (que não conhecia) – mas também por envolver atum (um dos meus peixes preferidos). O Opção Turismo está em Porto Santo a acompanhar o Festival Rota do Atum e aqui ficam as primeiras impressões.

Comecemos pela viagem. Lisboa / Funchal / Porto Santo. O dia começou muito (demasiado) cedo, mas isso faz parte (normalmente) de cada viagem. A chegada ao Funchal foi rápida e com uma aterragem suave. Depois de uma devida pausa para almoço foi tempo de seguir numa aeronave para a pequena ilha de Porto Santo. Mesmo a tempo de jantar.

As apreciações sobre o primeiro dia/jantar são positivas. O restaurante estava cheio, a refeição estava excelente, com vários momentos distintos e quase todos eles com atum (houve apenas um ravioli com pato e um rabo de boi para quebrar a sequência do atum, dar alguma alternativa e fazer um contraste), devidamente harmonizados com vinho.

De salientar que as refeições estão a ser preparadas com o apoio de alunos da Escola de Turismo que, desta forma, conseguem transpor a teoria para a prática e ganhar experiência através da partilha de conhecimento (e dicas) dada pelos chefs presentes no evento.

Apenas duas notas a melhorar (há sempre algo onde é possível melhorar): o número de comensais levou a algum (demasiado) espaçamento entre os pratos apresentados. Por outro lado, e tendo em conta que foi um jantar vínico e que está calor, é impensável que o Vinho do Porto não seja servido fresco. Infelizmente ainda há quem “vá na cantiga” dos vinhos servidos à temperatura ambiente.

Mais pormenores sobre a Rota na próxima semana onde contarei tudo sobre as outras refeições, sobre as actividades efectuadas (incluindo conversas com pescadores, descoberta da ilha, workshops…) e ainda sobre a importância do atum no desenvolvimento da ilha.

Bom fim-de-semana.

por Alexandra Costa