Início B4 RENA pede testes rápidos em vez de restrições às viagens

RENA pede testes rápidos em vez de restrições às viagens

A Associação das Companhias Aéreas em Portugal (RENA) propôs hoje a realização de testes antigénio rápidos a todos os passageiros antes do embarque, em alternativa às quarentenas e ao encerramento de fronteiras, que estão a causar devastação não só do sector da aviação como da economia em geral.

Segundo a RENA, que vê com grande apreensão as restrições a viagens, os governos têm de encontrar alternativas ao encerramento das fronteiras e às quarentenas, implementando testes sistemáticos e rápidos, precisos, escaláveis e acessíveis, a todos os viajantes internacionais antes da partida.

Em comunicado, a Associação adiantou que, nas últimas semanas, algumas companhias aéreas a nível mundial têm lançado iniciativas com testes antigénio rápidos, realizados nos aeroportos por profissionais de saúde.
Os passageiros recebem o resultado do teste antes do embarque e só podem embarcar os que tiverem resultado negativo para a presença do novo coronavírus, sendo os restantes redireccionados para voos alternativos.

– “Estes testes rápidos reforçam a segurança do transporte aéreo e transmitem confiança”, apontou, na mesma nota, o presidente da RENA, Paulo Geisler.
Assim, a associação apela ao Governo para que impulsione a implementação de testes rápidos, por exemplo, através do rastreio rápido das aprovações regulamentares, e que dê prioridade à aviação quando se trata de atribuir testes rápidos disponíveis.

A RENA defende ainda que as normas globais de testes sejam acordadas através da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), para que os testes administrados numa jurisdição no momento da partida sejam aceites por outras jurisdições à chegada.

Os testes de antigénios são muito mais rápidos e baratos do que os testes existentes de reacção padrão de polimerase em cadeia (PCR) e podem cada vez mais fornecer níveis comparáveis de exactidão, afirmou a associação.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter