Início B5 Madeira novamente na “lista verde” britânica

Madeira novamente na “lista verde” britânica

Tal como se previa, mais que não fosse pelas muitas notícias vindas a lume na imprensa britânica, nomeadamente no Mirror e no The Sun, o arquipélago da Madeira vai ser adicionada à “lista verde” de viagens internacionais e isentas de quarentena na chegada a Inglaterra.

Juntamente com a Madeira entram as ilhas Baleares e algumas das Caraíbas,

O ministro britânico dos Transportes, Grant Shapps, anunciou que as alterações, que também incluem vários territórios ultramarinos do Reino Unido, vão entrar em vigor já na próxima quarta-feira.

Nesta nova avaliação, seis países, incluindo a Tunísia e Haiti, vão ser acrescentados à “lista vermelha”.

Refira-se ainda que o governo britânico decidiu adiar para Julho a possibilidade de pessoas completamente vacinadas deixarem de ser obrigadas cumprir quarentena quando chegam a Inglaterra.

Actualmente, as viagens internacionais do Reino Unido são reguladas por um sistema de “semáforo”, que classifica os destinos de acordo com o risco epidemiológico.

O presidente do Governo da Madeira considerou que a reentrada da região no ‘corredor verde’ britânico é um acto da mais elementar justiça” e uma “grande vitória para a região.

Numa nota distribuída pela presidência do Governo madeirense, Miguel Albuquerque agradece o contributo de todos os madeirenses e porto-santenses para a grande vitória que a região acaba de alcançar ao ver o Reino Unido reconhecer a justiça dos seus argumentos e das suas aturadas diligências, recolocando o destino Madeira na sua ‘lista verde’.

O secretário Regional do Turismo e Cultura da região refere em comunicado que foi conseguida a descriminação positiva que se desejava, acrescentando que é uma decisão ajustada à realidade regional e vem reconhecer todo o trabalho em curso na afirmação da segurança do destino.

Para Eduardo Jesus, este anúncio do governo britânico em relação à Madeira vem colocar justiça naquilo que o Governo Regional entende que deveria ser tido em conta desde o princípio.

Na nota, o responsável explica que é o resultado de uma luta árdua, um trabalho intenso, de dedicação permanente por parte do Governo Regional, e conclui:

Estamos por isso ansiosos para que a operação britânica seja retomada e com a força que tínhamos previsto.

 

 

 

 

 



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter