COMPARTILHE

Em plena Costa Vicentina, a cerca de 190 quilómetros de Lisboa e 470 do Porto está um pequeno tesouro alentejano. A Vila Nova de Milfontes. Uma pequena terra onde é possível estacionar o carro e fazer as férias sem praticamente voltar a conduzir.

É uma típica vila alentejana. Uma vila do litoral. Com ruas estreitas e casas não muito altas, onde, no Verão, a população aumenta, mas, mesmo assim, se consegue fazer “vida” sem estar sempre a esbarrar nas outras pessoas.

Imagine estacionar o carro e estar a poucos minutos (a pé) do centro da Vila e poder fazer a sua vida quotidiana sem ter de voltar a pegar no veículo. A conseguir ir, a pé, para uma praia de rio e uma praia de mar.  Pois consegue fazer isto tudo em Vila Nova de Milfontes.

Mesmo em termos de organização a Vila não poderia estar melhor. A maioria dos alojamentos estão todos num dos lados da Vila, o que permite como que “orientar” a vida de todos os que vivem ou vistam a região.

Ir a Vila Nova de Milfontes é ter a possibilidade ou de ficar pela praia que está mesmo à “porta”da Vila ou as várias outras que estão (muito) perto. Praia dos Aivados, do Farol, do Malhão e das Furnas são algumas que pode (e deve) visitar. Seja para aproveitar as águas da Costa Vicentina, fazer surf, stand up paddle ou outro desporto náutico. Aproveite e faça um passeio até ao Cabo Sardão, onde pode observar a beleza indomável do oceano Atlântico, a par de belas formações rochosas. Mas, mesmo na Vila, vale a pena uma vista ao exterior do Forte de Milfontes, hoje uma propriedade particular. Uma dica. Ainda na vertente de pontos de interesse há ainda o monumento aos aviadores e a igreja de Nossa Senhora da Graça.

Se gosta de tirar fotografias ao pôr-do-sol vá até ao Farol de Vila Nova de Milfontes. Do miradouro têm-se uma vista fabulosa do sol a pôr-se no oceano. Aproveite e jante no Porto das Barcas. Um restaurante onde pode degustar peixe e marisco, confeccionado (e empratado) de forma contemporânea. Em alternativa (e se preferir focar mais pelo centro da vila) pode optar pelo Ritual. Um local onde os produtos da região ganham destaque, e que funciona como que “aperitivo” para a noite. Se a preferência, pelo contrário, vai mais para a comida tradicional pode sempre optar pela Tasca do Celso – uma escolha sempre bem-sucedida – que tem uma garrafeira e uma carta de vinhos a copo invejáveis, ou, numa vertente mais “popularucha” pelo Restaurante Morais. Localizado junto ao Forte tem a vantagem de proporcionar uma bela vista ao pôr-do-sol.

 

No que concerne ao alojamento há diversas opções. Desde apartamentos turísticos, alojamento local, alguns hotéis e inclusive turismo rural (a alguns quilómetros da vila). No meu caso a escolha recai sobre a Casa da Eira. Por vários motivos. A localização – está suficientemente perto do centro para se poder ir a pé e suficientemente longe para escapar da eventual confusão, típica das férias – mas também os serviços em si. A Casa da Eira não só tem os quartos “tradicionais” como disponibiliza apartamentos, ideais ou para famílias ou para quem queira/precise de fazer refeições em casa. A minha avaliação do alojamento? Os quartos/apartamento estão bem decorados. Com cores suaves e relaxantes. Os espaços estão primorosamente organizados – a “minha” cozinha apesar de ser pequena tinha tudo o que era preciso. Tudo isso é importante – a par de uma vista para a água e de um jardim apetecível – mas, para mim, tão ou mais decisivo foi a simpatia dos funcionários. Não só nas coisas tradicionais do acolhimento ao cliente, mas também, e principalmente, na atenção em promover a região.

Vila Nova de Milfontes é um local onde uma pessoa facilmente se sente bem acolhida e onde apetece voltar. Seja ou não no Verão. E é algum que tenciono fazer. Como que repetir uma experiência que deu certo. Porquê mudar algo que foi perfeito?

por Alexandra Costa