COMPARTILHE

O Quartel do Carmo, na ilha do Faial, nos Açores, e o Convento do Carmo, em Moura, no Alentejo, foram concessionados por 50 anos para exploração como hotéis de cinco estrelas, ao abrigo do programa Revive.

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, em nota de imprensa  esclarece que a assinatura destes contratos, que vão permitir recuperar o Convento do Carmo e o Quartel do Carmo, é um momento marcante. Graças ao Revive, tem sido possível transformar imóveis que estão fechados e sem uso em activos que serão importantes factores de geração de riqueza e de criação de postos de trabalho, reforçando a atractividade de Moura e da Horta.

Os contratos de concessão foram assinados com a sociedade Lux Mundi, vencedora do concurso para o Quartel do Carmo, e com o grupo SPPTH – que explora do Convento do Espinheiro – vencedor do concurso para o Convento do Carmo.

No Quartel do Carmo, antigo convento da Ordem das Carmelitas, construído no início do século XVII, está previsto um investimento de oito milhões de euros.

O edifício, situado num planalto da cidade da Horta, com vista para a ilha do Pico, acolherá um novo hotel de cinco estrelas, que terá entre 80 a 90 quartos, piscina, ‘spa’ e salas de reuniões.

Também o Convento do Carmo será transformado num hotel de cinco estrelas, com 50 quartos, restaurante e piscinas interior e exterior, num investimento estimado entre cinco a seis milhões de euros.

Edificado em 1251, o convento foi o primeiro da ordem carmelita fundado na Península Ibérica, tendo sido de lá que saíram os monges que fundaram o Convento do Carmo, em Lisboa.

Recorde-se que ainda abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova; do Forte da Ínsua, em Caminha; e do Mosteiro de São Salvador de Travanca, em Amarante.