COMPARTILHE

Lisboa atravessa um ciclo de crescimento. No entanto este está condicionado pela capacidade do aeroporto. Esta é a opinião de Gonçalo Coelho de Sousa, diretor geral do DoubleTree by HiltonLisbon – Fontana Park, que refere ser esta uma das razões para o abrandamento verificado no turismo. O executivo acredita que existe margem para crescer, “o aeroporto é que não comporta mais”.

A solução passa por apostar mais na qualidade. Na segmentação dos turistas que “queremos para os nossos destinos”. Quanto ao aeroporto, não só é uma encruzilhada como “uma má publicidade para nós (Portugal)”. Basta pensar nas publicações que enchem as redes sociais a mencionar as filas de horas para o SEF ou o tempo de antecedência necessário para não perder um voo. Ou as informações sobre o constante atraso nos voos.

Gonçalo Coelho de Sousa acredita que o Porto irá “roubar” muito turismo a Lisboa não só pelo crescimento do sector hoteleiro (em termos do número de camas e qualidade das unidades) mas também das condições aeroportuárias, com o Aeroporto Francisco Sá Carneiro a estar em melhores condições (em termos de capacidade) que o de Lisboa.

O responsável pelo DoubleTree by Hilton Hotel Lisbon – Fontana Park aponta ainda um outro problema sentido pelo sector hoteleiro. O recrutamento. Que é dificultado por algo aparentemente simples: a falta de transportes públicos em horas ditas “não normais”. Sair depois da meia-noite ou chegar antes das 7 horas da manhã pode ser um autêntico pesadelo. E esses são horários críticos para os hotéis.

Sem esquecer o facto de Portugal estar a atravessar um momento algo louco de aberturas de hotéis, restaurantes… sendo notório que as escolas de turismo não conseguem dar vazão à imensa procura. Esta é uma das razões (mas não a única) que leva o grupo, explica Gonçalo Coelho de Sousa, que o grupo, mais do que tudo, procura “atitude”.  A formação é depois dada “on the job”. Mesmo assim há áreas claramente deficitárias. É o caso do Food and Bevarage e Housekeeping.

DoubleTree by Hilton Hotel Lisbon – Fontana Park

A entrada em Portugal e nomeadamente na capital pecou por ser algo tardia (comparativamente com outros países). O certo é que a Hilton está há cinco anos em Portugal, com o DoubleTree by Hilton Hotel Lisbon – Fontana Park a ser a primeira unidade do grupo. Na altura (2014) Lisboa ainda não estava na moda e os preços praticados eram muito baixos. Desde essa altura tudo mudou. O preço médio aumentou o que tornou a cidade um destino “mais interessante” para as cadeias internacionais.

O DoubleTree by Hilton Hotel Lisbon – Fontana Park tem uma localização privilegiada. A dois passos do Saldanha, onde existe uma estação de metro com ligação directa ao aeroporto de Lisboa, e está muito perto (a pé) de pontos turísticos como o Marques de Pombal ou a Baixa. O que leva a que a unidade tanto seja procurada por clientes corporate como para turistas de lazer.

Uma das valências do hotel é o restaurante Saldanha Mar, que beneficia da proximidade com o mercado, o que lhe permite o acesso directo (e diário) a ingredientes frescos. De tal forma que se pode dizer que este é já um serviço autónomo (financeiramente) do hotel. A permanência da Chef Victória Santos e a aposta na gastronomia portuguesa e nas receitas tradicionais faz com que o restaurante esteja com um “movimento muito interessante quer ao almoço, quer ao jantar”.

Alexandra Costa