COMPARTILHE

A ida a Porto Santo, para acompanhar a segunda edição da Rota do Atum, permitiu desmistificar uma ideia. A de que esse era um dedica apenas de sol e praia. É certo que esses são os seus principais atributos – não é por acaso que a ilha é apelidada de Caraíbas portuguesa – mas não são os únicos.

Estive pouco tempo em Porto Santo – foram apenas três dias – mas foi o suficiente para ficar a conhecer a ilha e perceber que uma semana em Porto Santo não é uma ideia descabida. E que isso não significa ficar 7 dias de papo para o ar na praia.

Para quem gosta de história é imperdível fazer um passeio geológico pela ilha e conhecer o que originou a formação da ilha, as várias fases e as espécies que podemos encontrar? Sabia que há um mini-deserto em Porto Santo? E que podemos encontrar fósseis de caracóis, de árvores e de plantas? E que, infelizmente, é algo que se arrisca a desaparecer? Principalmente devido à interferência humana?

O passeio de jipe pela ilha e o conhecer o passado geológico de Porto Santo é uma das experiências disponibilizadas no Vila Baleira Resort e que faz parte do tudo incluído plus. Mas também pode ser adquirido à parte.

Ainda na “parte seca” da ilha – diga-se em terra – é sempre interessante ir até à cidade, visitar os dois museus, principalmente a Casa Museu Cristovão Columbo, passear pela beira da praia e experimentar um dos ex-libris da terra. O lambeca. Um gelado a lembrar o que se encontrava nas feiras há 20 ou 30 anos e que continua a fazer as delícias de miúdos e graúdos.

Mas, principalmente, há que conhecer a ilha através do mar. Aqui há duas possibilidades. Uma delas consiste em subir até à ilha do farol – atenção que exige algum esforço físico, dado que são mais de 700 degraus – e degustar algumas das iguarias da ilha. Em alternativa é possível fazer um passeio de uns 150 minutos e conhecer os principais pontos de atracão de Porto Santo, ver a transparência e limpidez do mar, ir até praias de difícil acesso (a não ser por barco), fazer snorkeling e, com um pouco de sorte, ver golfinhos e outras espécies marinhas.

Tudo isto prova que Porto Santo é mais do que sol e praia, embora, claro, estes sejam os seus principais atributos. Não é por acaso que os charters funcionam no Verão – embora haja operadores com actividade em sete meses ao ano – mas, com a divulgação adequada por ser que os turistas se apercebam que a ilha é visitável durante todo o ano (ou quase). Mesmo porque o tempo permanece relativamente ameno. Inclusive no Inverno.

por Alexandra Costa