Início VIP O grande negócio dos hostels

O grande negócio dos hostels

Os fundos de investimento estão agora a apostar fortemente nos hostels, por serem um dos activos imobiliários mais rentáveis ​​do mercado, com retornos em torno à volta dos 7-7,5%, à frente dos hotéis (6,5-7%) e superados apenas por activos logísticos e industriais (+ 7,5%).

Esse novo modelo de alojamento de baixo custo, que consiste em oferecer camas em quartos compartilhados e localizado em áreas centrais, está a ser um segmento muito atraente para os investidores, pois é um activo muito resistente à crise.

Paula Menis, da Excem Real Estate, salienta que custou muito às instituições financeiras entenderem este negócio, já que alguns interlocutores não sabiam o que era um hostel. E acrescenta que actualmente até as redes de hotéis estão a apostar neste negócio.

A Excem assinou recentemente uma parceria com a empresa de investimentos KKR para construir uma plataforma de hostels com um portfólio inicial de três estabelecimentos: dois em Portugal e um em Espanha. Além disso, a estratégia de ambas as empresas envolve a aquisição de mais vinte activos nos próximos dois anos na Europa Ocidental.

Também a firma de investimentos Azora abriu agora uma linha para a compra de hostels e hotéis com um capital de 600 milhões de euros,

Entretanto, a Azora já adquiriu quatro activos para construir um “produto híbrido entre hostel e hotel” em Bilbau, Bruxelas, Lisboa e Madrid.

Queremos possuir os activos pois desde há algum tempo, decidimos desenvolver nosso próprio operador. Estamos a criar uma marca eque será lançada na próxima primavera, explicou Mónica Garay, chefe da divisão de Hostels da Azora

Agora, também o fundo internacional Blackrock aposta em hotéis de baixo custo e a gerente da Orienta Capital lançou um fundo chamado Hostel Europe Experiences com 20 milhões de euros para comprar hostels na Europa.

Trata-se de um modelo de negócio a proliferar não só na Europa, mas também em outras regiões do mundo como, por exemplo, no México, com a cadeia “low cost” Oyo, ou na América Latina e Caribe.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter