Início B1 Açores: dormidas a subir e alivio nas restrições

Açores: dormidas a subir e alivio nas restrições

O arquipélago dos Açores contabilizou 162 mil dormidas nos diferentes tipos de alojamento durante o mês de Junho, valor mais elevado do ano, mas cerca de metade do verificado no mesmo mês de 2019, de acordo com o Serviço Regional de Estatística (SREA).

Segundo a mesma publicação, este será o valor mais elevado registado em 2021, com uma tendência crescente desde Janeiro, em que se contabilizaram 30.679 dormidas.

Em Fevereiro, o número rondou as 31 mil dormidas, tendo subido em Março para cerca de 54 mil, em Abril para 73 mil e em Maio para 95 mil.

Comparando com os dados da actividade turística em Junho de 2020, o número de dormidas no mesmo mês de 2021 sobe mais de 14 vezes, de 11.211 para 162.000.

No entanto, o número de dormidas referentes a Junho deste ano é pouco mais de metade das verificadas no mesmo mês de 2019, em que se registaram 321.184 dormidas.

Também o número de passageiros desembarcados terá um crescimento significativo, em Junho de 2021, de acordo com o Indicador de Turismo do SREA. Os passageiros desembarcados em voos internacionais passam de 557 em Janeiro de 2021 para 4.247 em Junho.

Quanto aos passageiros de voos provenientes de território nacional, em 2021, regista-se um aumento de 12.498 em Janeiro para 48.885 em Junho, quando no mesmo mês do ano anterior eram apenas de 5.216 passageiros.

Açores alivia restrições

Berto Cabral, director regional da Saúde, na sequência da alteração por parte do Governo Regional das medidas restritivas de combate à covid-19, ou seja, o alargar os horários de funcionamento da restauração e reduzindo a proibição de circulação, destacou que esta decisão foi tomada face ao avançar do processo de vacinação contra a covid-19 na região.

O também responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional dos Açores disse ainda que esta altura do ano se reveste para muitos sectores de actividade económica.

Assim, desde as 00:00 de ontem, segunda-feira, os concelhos de Ponta Delgada e Lagoa, na ilha São Miguel, e Angra do Heroísmo e Praia da Vitória, na ilha Terceira, com alto risco de transmissão de SARS-CoV-2, ficam em situação de calamidade pública.

No entanto, as restrições diminuem. Nos concelhos de médio-alto e de alto risco o horário dos restaurantes é alargado das 22h00 para as 23h00, mas nos de alto risco os cafés têm de encerrar às 20h00.

Quanto aos estabelecimentos de restauração, bebidas e similares nos concelhos em baixo e muito baixo risco deixam de ter obrigatoriedade de encerramento à meia-noite.

Nos concelhos de médio risco, esses espaços passam a poder encerrar à meia-noite, quando tinham de encerrar às 22h00.

Outra mudança diz respeito à redução do horário de proibição de circulação na via pública nos concelhos de alto risco, que passa a ser entre as 00h00 e as 5h00. Mantêm-se as excepções previstas na lei.

Ainda quanto aos restaurantes só podem ocupar uma lotação de três quartos nos concelhos em muito baixo risco, dois terços em baixo risco, metade em médio risco e um terço em médio-alto e alto risco.

 



Mais notícias em OPÇÃO TURISMOSiga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter