COMPARTILHE

Afinal o problema da Boeing no 737 não se restringe ao 737 MAX e não se trata apenas de uma questão de software. A empresa informou as autoridades de aviação dos Estados Unidos da América que mais de 300 modelos do 737 NG e 737 MAX possuem peças que foram “fabricadas de maneira inapropriada”. A informação foi divulgada pela Federal Aviation Administration (FAA).

Segundo a FAA uma das partes afectadas é o mecanismo da asa do avião. Isto porque modifica “as características de subida e resistência durante as descolagens/aterragens”. Segundo a FAA a investigação descobriu que existem 32 Boeing NG e 33 Boeing Max afectados. Números referentes apenas aos Estados Unidos, porque, os valores totais “implicam” 133 NG e 179 MAX a nível mundial.

De relembrar que, actualmente, os Boeing 737 MAX estão interditos de voar em quase todos os países do mundo, fruto dos dois acidentes.

O Boeing 727 fez o seu debute em Janeiro de 2016. Até Março deste ano a Boeing tinha fabricado 393 aviões deste modelo, cada a custar cerca de 100 milhões de euros.