Início ao acaso Mais de metade dos europeus continuam a pensar em viajar depois de...

Mais de metade dos europeus continuam a pensar em viajar depois de abril de 2020

COMPARTILHE

À medida que os dias vão passando e que cada vez mais pessoas se tentam manter em casa, cresce a dúvida de como a indústria de viagens se irá adaptar a uma nova realidade e de como será viajar depois do surto de coronavírus.

Para ajudar a perceber os planos dos cidadãos europeus para as próximas férias, a LuggageHero efectuou um extenso inquérito que é agora partilhado.

Baseado-se na análise às respostas dadas pelos participantes europeus, a empresa dinamarquesa percebeu que os viajantes não cancelaram os seus planos, apenas os adiaram até a situação se tornar mais clara: 44% dos inquiridos garantiram que não irão alterar o plano de viagens agendadas para depois de maio. Em todo o globo, a percentagem é de 50%.

Planos de viagem no futuro próximo

61% dos inquiridos europeus tinham uma viagem agendada para março-abril que foi afectada pelo COVID-19, como era expectável. Mais, 20% marcaram a viagem enquanto casal e 9% planeavam viajar em família, o que torna o impacto do surto ainda maior.

Como a situação é ainda incerta, muitos dos inquiridos (47%) cancelaram já as suas reservas e outros 32% pensam fazê-lo. Entre eles, no entanto, há quem mantenha a intenção em viajar, apostando em evitar transportes públicos e grandes cidades e focando-se em destinos mais naturais, longe das multidões.

Planos de viagem para depois dos próximos dois meses

No que diz respeito a viagens agendadas a partir de maio de 2020, os cidadãos europeus mostram-se esperançosos e desejam manter os seus planos: 56% pensam em visitar os destinos desde que não exista nenhuma situação de quarentena que possa interferir. Apenas uma pequena percentagem (8%) já cancelou as viagens agendadas para o período entre maio e setembro. Muitos dos inquiridos não equacionam sequer alterar o itinerário da viagem depois de chegarem ao destino principal, planeando visitar os locais pensados anteriormente. Alguns deles (32%) tentarão evitar transportes públicos e grandes metrópoles para uma maior segurança. Outros 17% afirmam que o plano passa por ficar perto de casa e no seu país de origem, de forma a ter uma melhor avaliação sobre situações de risco.

A nível de orçamentos, os cidadãos europeus estão ainda a adaptar-se à situação actual e a repensar nas suas despesas, enfatizando o impacto económico sentido pelos viajantes. Apenas 46% dos inquiridos afirmou ter o mesmo orçamento para as férias de 2020, enquanto perto de um quarto deles sublinhou que este será reduzido em mais de 40%.

Este inquérito foi enviado via email e preenchido online através do Google Forms por 2496 pessoas de todo o mundo entre 15 e 16 de março de 2020.

Mais notícias em www.opcaoturismo.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here