Início Opção Turismo Madeira: um destino aberto na Páscoa

Madeira: um destino aberto na Páscoa

Durante o período da Páscoa continua a ser possível viajar até à Madeira. As deslocações de cidadãos estrangeiros e nacionais, quer vivam ou não na região, estão permitidas e a região autónoma mantém em vigor todas as medidas de segurança implementadas no seguimento da pandemia.

Para viajarem para a região, quer turistas estrangeiros, quer turistas nacionais, têm de cumprir as medidas de segurança que continuam a vigorar.

Assim, todos os que pretendem entrar no destino têm de apresentar um teste negativo realizado 72h antes do embarque ou realizar o mesmo à chegada no aeroporto. Neste último caso, devem seguir para o seu hotel e aí permanecer até à obtenção do resultado, o qual é enviado num período estimado de 6h a 12h. De referir que, os testes realizados no aeroporto e nas clínicas protocoladas no continente, continuam a ser gratuitos.

Por outro lado, o ‘corredor verde’ continua a receber turistas que chegam com teste negativo ou que se insiram nas novas condições de vacinados ou recuperados da Covid-19. A passagem pelo ‘corredor verde’ permite a entrada na região sem necessidade de realização de teste covid à chegada ou necessidade de confinamento. Para serem elegíveis, têm de comprovar o seu estado atual através de um de três documentos: o comprovativo de teste covid negativo, o comprovativo de vacinação ou o comprovativo de recuperado, os quais devem ser submetidos na ‘web app’ em madeirasafe.com antes da realização da viagem, em língua inglesa para estrangeiros. O passaporte ou certificado de vacinação tem de ser validado pelo respetivo país de origem e fazer constar nome, data de nascimento, número de saúde, tipo e data do teste, tipo de vacina, data das duas tomas realizadas e o respeito pelo período de imunização de acordo com a bula de cada vacina.

Todos os certificados de vacinação oficiais de cada país são aceites como comprovativo de vacinação. Já os passageiros recuperados da Covid-19 têm de apresentar um documento, válido por 90 dias, que comprove a sua recuperação. O mesmo deverá conter a palavra “recuperado”. Mas atenção que esta condição só é válida para quem recuperou nos últimos 90 dias.

Chegados a território insular, todos os turistas devem respeitar as restrições em vigor que se traduzem no cumprimento das normas sanitárias – uso obrigatório de máscara, a partir dos 6 anos, distanciamento social (2 metros entre pessoas e evitar aglomerados) e higienização frequente das mãos – e recolher obrigatório – a partir das 19h durante os dias de semana e das 18h nos fins-de-semana.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter