Início B2 Madeira: apenas testes rápidos para entrada na região

Madeira: apenas testes rápidos para entrada na região

O Governo Regional da Madeira anunciou que a partir de 01 de Julho passa apenas a ser obrigatório a apresentação de teste rápido antigénio negativo à covid-19 – em vez do PCR – para entrar na Madeira, realizado até 48 horas antes da viagem.

Outra das decisões refere-se ao horário de encerramento dos bares e restaurantes que vai ser alargado para as 00h00, já a partir de hoje. O recolher obrigatório passará a vigorar entre as 01h00 e as 05h00.

A lotação dos estabelecimentos pode ir até dois terços da capacidade, podendo funcionar com mesas de seis pessoas no interior e de 10 no exterior.

O executivo regional, liderado por Miguel Albuquerque, anunciou também que a partir de 21 de junho será exigido apenas um teste rápido antigénio negativo para as deslocações entre as ilhas da Madeira e do Porto Santo, realizado até 48 horas antes da viagem.

Também foi referido que não serão aceites autotestes, quer para as entradas na região, quer para as deslocações entre ilhas e até à entrada em vigor das novas medidas de controlo de viajantes, mantém-se o “corredor verde” nos portos, aeroportos e marinas do arquipélago para vacinados, testados e recuperados da covid-19 até 180 dias, sendo exigido aos restantes a apresentação de teste negativo PCR realizado até 72 horas antes da viagem.

O Governo Regional autoriza igualmente, já a partir de terça-feira, a realização de casamentos, batizados e eventos similares com lotação até dois terços da capacidade dos recintos, seja interior ou exterior, com consumo de bebidas e comidas obrigatoriamente sentado, uso de máscara, desinfeção e distanciamento.

Se o evento acolher mais de 100 pessoas, é obrigatório para todos os participantes a realização do teste rápido antigénio até 48 horas antes, sem limite de idade, explicou Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, acrescentando que arraiais e festas temáticas não serão permitidos, por enquanto, uma vez que não há, nos moldes tradicionais, forma de proceder ao controlo dos ajuntamentos, de assegurar o distanciamento e evitar o consumo de bebidas alcoólicas nos termos exigidos por lei.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter