COMPARTILHE

A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ) de Macau pediu às operadoras a reforçarem a fiscalização sobre a promoção do jogo ‘online’, após supostas irregularidades que envolvem o maior angariador mundial de apostadores VIP.

A exploração de qualquer atividade relacionada com jogos de fortuna ou azar na RAEM – Região Administrativa Especial de Macau pode constituir um crime, adverte em comunicado a DICJ, que acrescenta ainda que o Governo não permite ao sector do jogo efectuar qualquer promoção de jogos ‘online’, de apostas via telefónica e outras actividades relacionadas através dos casinos.

A DICJ exortou as concessionárias/subconcessionárias para a necessidade de uma fiscalização rigorosa dos promotores de jogo junto delas registados, por forma a prevenir aproveitamento indevido dos casinos da RAEM para a promoção de jogos ‘online’ ou colocação de apostas via telefónica.