Início B4 Linha aérea Bragança-Portimão encerrada “temporariamente”

Linha aérea Bragança-Portimão encerrada “temporariamente”

COMPARTILHE

29Em comunicado no Facebook, a empresa Sevenais anunciou que a linha aérea regional que liga Bragança a Portimão estará encerrada, “temporariamente”, a partir do próximo dia 22 de fevereiro. Acrescenta ainda que a sua reactivação está condicionada à contratação do serviço público que ainda não foi formalizada. Pelo menos até à data deste comunicado (12).

O grupo aeronáutico refere ainda tratar-se de uma situação externa à empresa, a qual aguarda que seja solucionada a qualquer momento.

A referida nota salienta que conforme a nossa política de Qualidade e transparência, a Sevenair estará sempre preocupada com os seus clientes e por isso faz questão de os informar a actualizar.

Refira-se, no entanto, que o Ministério das Infraestruturas e da Habitação esclareceu que o contrato de serviço público assinado com a Sevenair para a ligação aérea regional entre Bragança, Vila Real, Viseu, Cascais e Portimão está condicionado apenas porque a empresa não enviou ainda os seus relatórios de execução financeira necessários para a libertação das verbas, apesar da insistência do Governo. O contrato aguarda ainda visto do Tribunal de Contas, segundo o Ministério.

Sevenair desmente Governo

O grupo Sevenair, que tem a concessão da carreira aérea Bragança-Portimão, desmentiu hoje (12) o Governo, garantindo que os relatórios de execução financeira estão em ordem e só podem ser enviados à tutela após o fecho de contas.

Na base da posição da Sevenair está a declaração do Ministério das Infraestruturas e da Habitação de que o contrato de serviço público assinado para a ligação aérea regional entre Bragança, Vila Real, Viseu, Cascais e Portimão está condicionado porque a empresa não enviou ainda os seus relatórios de execução financeira de cada prorrogação efectuada, apesar da insistência do Governo.

Em comunicado, o grupo afirma que a Sevenair quer deixar bem claro que essa informação é completamente errónea e só pode ter sido divulgada por falta de conhecimento dos trâmites do contrato de concessão. Os relatórios de execução da linha, nomeadamente para os aditamentos da concessão que terminou em dezembro de 2018, só podem ser apresentados juntamente com a certificação legal de contas da empresa o que, obviamente, só pode ser feito findo o ano de 2019.

O grupo salientou ainda que nunca recebeu qualquer quantia desde março de 2019, mantendo sempre o serviço da linha, sem qualquer interrupção.

Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook