Início B2 INE: 29,5 milhões de hóspedes e 77,8 milhões de dormidas em 2019

INE: 29,5 milhões de hóspedes e 77,8 milhões de dormidas em 2019

COMPARTILHE

O INE divulgou os primeiros resultados definitivos de 2019 do turismo, que serão difundidos com maior detalhe dentro de alguns dias. Mais propriamente a 31 de Julho.

Uma informação mais completa e onde constará um vasto conjunto de indicadores sobre a actividade turística em Portugal, nas vertentes de oferta e ocupação de alojamento turístico, bem como de procura turística dos residentes, no ano de 2019.

Considerando a generalidade dos meios do alojamento turístico nas suas diferentes tipicidades, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude, em 2019 registaram-se 29,5 milhões de hóspedes e 77,8 milhões de dormidas, traduzindo-se em aumentos de 7,4% e 4,3%, respetivamente.

Recorde-se que em 2018 registaram-se subidas de 5,1% e 3,3%, pela mesma ordem.

O mercado interno assegurou 26,1 milhões de dormidas (33,6% do total) e registou um crescimento de 5,9% em 2019 (6% em 2018).

As dormidas dos mercados externos (66,4% do total) aumentaram 3,5% (2,0% em 2018) e atingiram 51,7 milhões de dormidas.

O Reino Unido manteve-se como principal mercado emissor com 18,8% do total das dormidas de não-residentes.

Em 2019, os residentes em Portugal realizaram 24,5 milhões de deslocações turísticas, correspondendo-lhes um acréscimo de 10,8% (após 4,2% em 2018 e 5% em 2017).

O número de deslocações em território nacional atingiu 21,4 milhões (9%, após 3,2% no ano anterior), correspondendo a 87,3% do total.

Em 2019, 5,4 milhões de residentes em Portugal efectuaram pelo menos uma deslocação com dormida fora do seu ambiente habitual, ou seja, o correspondente a 53,0% da população residente (48,0% em 2018).

O “lazer, recreio ou férias” foi a principal motivação para viajar em 2019, justificando 12,1 milhões de viagens (49,4% do total), seguindo-se a “visita a familiares ou amigos”, com 9,2 milhões de viagens (37,8%) e os motivos “profissionais ou de negócios” (2 milhões), com 8,2% do total.

Cada viagem teve uma duração média de 4,1 noites (contra as 4,0 em 2018).

As deslocações para o estrangeiro totalizaram 3,1 milhões (uma subida de 24,7%, após a de 13,3% em 2018), com uma duração média de 7,2 noites (7,3 em 2018) e as viagens domésticas 3,6 noites (3,5 em 2018).

A despesa média por turista em cada viagem aumentou 18,1% para 197,2 Euros (mais 10,9% em 2018).

Nas deslocações domésticas os residentes gastaram, em média, 134,8 euros por turista/viagem (121,5 euros em 2018), enquanto em deslocações para o estrangeiro o gasto médio por turista/viagem foi 626,8 euros (mais 19,2% face a 2018).



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here