IATA pede aos governos reabertura global das viagens

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) pediu que os governos cumpram com os compromissos assumidos na Conferência de alto nível sobre a Covid-19 da Organização de Aviação Civil Internacional (ICAO) para que ocorra um progresso real na restauração da conectividade aérea global para ajudar à recuperação da aviação.

Os estados participantes da conferência da ICAO declararam o seu compromisso com 14 medidas que, se fossem implementadas, permitiriam às companhias aéreas responder à procura dos consumidores em todo o mundo pelo retomar das viagens aéreas, disse a IATA.

Em particular, dois compromissos exigem acção mais urgente por parte dos governos, que são: tomar medidas eficazes para prevenir a propagação da Covid-19, encorajando a harmonização das estratégias de gestão de riscos para restaurar com segurança a conectividade internacional e apoiar a retomada da economia global como um passo fundamental para atingir o objectivo de melhorar a sustentabilidade social.

Os estados também se comprometeram em promover uma abordagem harmonizada e inclusiva para facilitar viagens aéreas internacionais seguras, incluindo a redução ou isenção de requisitos de teste e/ou quarentena para passageiros totalmente vacinados ou recuperados, levando em consideração as diferentes circunstâncias de cada país e as suas políticas nacionais, de acordo com as políticas e considerações técnicas da OMS para a implementação de uma abordagem baseada em riscos para viagens internacionais no contexto da Covid-19, e oferecendo excepções para passageiros não vacinados.

– As restrições impostas pelos governos continuam a impedir a retoma das viagens internacionais, que permanecem 70% abaixo dos níveis anteriores à crise. Os compromissos mostram que os governos entendem o que é necessário para reiniciar a conectividade global. A tarefa agora é a implementação. Alguns governos já começaram. A iminente abertura do mercado dos Estados Unidos para viajantes vacinados será um grande passo à frente. Mas não podemos permitir que o resultado desta reunião fique só no papel. As companhias aéreas, 88 milhões empregos, 3,5% do PIB global e mil milhões de viajantes estão a contar com os governos para realizar a reabertura, enalteceu o director-geral da IATA

Willie Walsh apelou igualmente os governos a adoptarem o IATA Travel Pass para gerir a documentação relacionada com a saúde em viagem, isto porque, conforme destacou, as companhias aéreas não podem permitir uma retoma comprometida por processos em papel para a verificação de certificados de saúde.