Início B5 IATA: Europa está fora da realidade existente no sector da aviação

IATA: Europa está fora da realidade existente no sector da aviação

A Associação Internacional de Transporte Aéreo, IATA, classificou a recente decisão da Comissão Europeia (CE) de definir o limite para o uso de slots de Inverno em 50% não só como algo fora de sintonia com a realidade como também denuncia que a CE ignorou o conselho e as evidências apresentadas pelos membros da UE, dos Estados Unidos e da indústria aérea, que defendeu um limite muito mais baixo.

O anúncio da CE significa que, entre os meses de Novembro a Abril, as companhias aéreas que operam em aeroportos com ‘slots’ regulamentados devem utilizar pelo menos metade de todas as séries de ‘slots’ de que dispõem.

Refira-se que a Comissão Europeia tomou a decisão unilateral de fixar o limite para a utilização de ‘slots’ de Inverno em 50% com o objectivo de usar essa regulamentação para promover uma recuperação sustentável para as companhias aéreas, mas não teve sucesso.

Recorde-se também que a regra de força maior, segundo a qual a regra de ‘slot’ é suspensa se circunstâncias excepcionais relacionadas à pandemia Covid-10 estiverem em vigor, foi desactivada para operações dentro da União Europeia.

O resultado dessas mudanças será a restrição da capacidade das companhias aéreas de operar com a agilidade necessária para responder à demanda imprevisível e em rápida mudança, resultando em voos desnecessários e prejudiciais ao meio ambiente.

Uma situação que Willie Walsh, director-geral da IATA, considera que enfraquecerá ainda mais a estabilidade financeira da indústria e dificultará a recuperação da rede global de transporte aéreo.

Mais uma vez, a Comissão mostrou que estão desligados da realidade, uma vez que o sector de aviação civil ainda enfrenta a pior crise de sua história, disse aquele responsável, recordando que a CE tinha um objectivo claro de usar o regulamento de ‘slots’ para promover uma recuperação sustentável para as companhias aéreas, mas não teve sucesso.

Em vez disso, demonstraram desprezo pela indústria e pelos muitos Estados membros que repetidamente pediram uma solução mais flexível, perseguindo obstinadamente uma política que é contrária a todas as evidências diante deles, concluiu Willie Walsh.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMOSiga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter