Início B1 Governo não gostou do prejuízo da TAP em 2019

Governo não gostou do prejuízo da TAP em 2019

COMPARTILHE

O prejuízo da TAP o ano passado foi considerado pelo Governo com um não desvio qualquer, já que considera que a companhia aérea devia ter tido lucro em 2018 e 2019.

O ministro das Infra-estruturas disse, após a apresentação dos resultados da TAP referentes ao ano passado, que o orçamento que a comissão executiva da transportadora aérea portuguesa apresentou ao Conselho de Administração para 2018 e 2019 previa lucro e que prejuízo de 105,6 milhões de euros não foi um desvio qualquer.

Aos jornalistas, Pedro Nuno Santos criticou os prémios distribuídos pela TAP afirmando que diz o bom senso que, perante um quadro destes em que é prometido o lucro e o resultado final é de prejuízo acima de 100 milhões de euros, que se abstivessem de distribuir prémios, por respeito para com o povo português e para com a esmagadora maioria dos trabalhadores da TAP que não vão receber nada.

Refira-se que o Governo está representado em 50% no Conselho de Administração, mas não na comissão executiva, que tem a competência de determinar a política remuneratória, embora haja uma comissão de recursos humanos onde está também presente. No entanto, no processo de reversão da privatização da TAP, em 2015, a transportadora aérea portuguesa manteve o carácter privado da gestão em 100%, ou seja, o Governo mantém uma palavra decisiva na estratégia da empresa, embora mas não na gestão. No Conselho de Administração, a maioria é o do Estado, na gestão, é 100% privada

Em relação às afirmações do presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, de que a companhia não apresentará lucros nos próximos 2 anos, o ministro das Infra-estruturas reconheceu que uma empresa que faz um investimento grande, como a renovação da frota de aeronaves, necessita de um conjunto de anos até poder ver os resultados positivos dessa aposta estratégica.