Início Notas FMI/Médio Oriente:  pior queda no crescimento em mais de 50 anos

FMI/Médio Oriente:  pior queda no crescimento em mais de 50 anos

Os baixos preços do petróleo e a pandemia de covid-19 fazem com que o Fundo Monetário Internacional (FMI) aponte para o nível mais baixo, em mais de 50 anos, as previsões de crescimento para o Médio Oriente.

Segundo os especialistas, embora a crise sanitária (exceptua-se o Irão) não tenha feito grande número de vítimas, as consequências económicas do confinamento e a desaceleração global são significativas.

Para o FMI, as economias do Médio Oriente e norte de África vão contrair, em média, 5,7% este ano, com quedas até 13% nos países em guerra.

Trata-se da projeção é a mais baixa em mais de em mais de 50 anos, segundo dados do Banco Mundial, e ocorre após um ano de crescimento modesto.

Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Koweit, Omã e Qatar, os seis países do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) atingidos pela queda do preço do petróleo, devem contrair 7,1%, mais 4,4 pontos percentuais do que o estimado na previsão de Abril.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter