Início Opinião/Crónica Europa alivia planos de emergência e com muitas reaberturas

Europa alivia planos de emergência e com muitas reaberturas

COMPARTILHE

O passado dia 1, segunda-feira, fica marcado na história desta pandemia do Covid como a data em que grande parte dos países, nomeadamente na Europa, reabriram as  actividades económicas, de lazer e culturais após as restrições impostas. Desde fronteiras e transportes terrestres e aéreos ao comércio, escolas, praias e piscinas públicas, passando pela hotelaria e restauração a par dos centros comerciais, museus, cinemas e teatros.

Neste caso está a Espanha que reabriu as piscinas públicas, restaurantes e centros comerciais, e  a Itália onde já estão abertos o Coliseu de Roma, o Foro Romano e o Palatino, integrados no Parque Arqueológico da capital italiana.

Também os museus do Vaticano já foram reabertos, embora seja obrigatório o uso de máscaras e verificação da temperatura à entrada.

O Reino Unido deu início a uma nova fase de fim de confinamento em Inglaterra, com o regresso dos concertos ao Wigmore Hall, sem público, mas em directo na BBC e na Internet. As escolas primárias reabriram parcialmente e Londres autoriza o ajuntamento até seis pessoas. Ou seja, grupos podem encontrar-se em parques ao ar livre, incluindo para piqueniques e churrascos, e em jardins privados, mas sem contemplar a entrada em casas de outros agregados e continuando a respeitar o distanciamento social.

Nos Países Baixos, cinemas, teatros, restaurantes, museus e instituições culturais estão já a funcionar. No entanto, o número de pessoas em simultâneo num determinado local não pode exceder as 30, entre visitantes e funcionários, e as esplanadas podem ter um máximo de 10 clientes. Os transportes públicos voltam a funcionar, sendo obrigatório o uso de máscara. As escolas secundárias reabrem terça-feira.

Na Grécia abriram os cinemas ao ar livre e reabriram as escolas primárias e jardins-de-infância. A suspensão de voos comerciais com Espanha, Itália, Reino Unido e Holanda terminou. Mas para Portugal, ainda não houve “luz verde”

No que concerne à abertura de fronteiras, a Grécia, Bulgária e Sérvia reabriram fronteiras comuns, para potenciar o turismo, as relações económicas e os contactos familiares, além dos já contemplados transportes humanitários e de mercadorias.

Entretanto, já foi retomada a ligação marítima entre Argel e Marselha.

Na Roménia e na Turquia entraram já em operação os cafés, restaurantes, praias, centros desportivos e museus.

Andorra já recebe visitantes franceses e espanhóis e na Albânia as fronteiras, hotéis e creches voltaram a funcionar.

Moscovo aliviou as medidas de contenção, sendo reabertas empresas, o comércio de produtos alimentares e o comércio não-alimentar. As zonas de passeio pedonais poderão reabrir, mas de maneira controlada, e os serviços que não requerem contacto humano prolongado, como as lavandarias ou pequenos ateliês de Moscovo, também podem retomar a actividade.

Na Ucrânia, os comboios já andam e foram reabertos os jardins-de-infância e salas de desporto (excepto piscinas) e as praias de Kiev. Na Geórgia foram reabertos restaurantes e centros comerciais.

Montenegro reabre as suas fronteiras aos cidadãos de diversos países da Europa, excepto os da Sérvia.

No norte da Europa, a Finlândia reabriram restaurantes, bibliotecas e outros locais públicos, enquanto na Noruega os bares e parques de diversões já funcionam.

Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook