Encaro 2022 com bastante confiança, mas longe ainda da normalidade, afirma Natalie Lopes (Viagens 4Seasons)


A agência de viagens 4seasons foi criada no dia 25 de Junho de 2020 por Natalie Lopes e mais um sócio, depois de ter encerrado um capitulo numa outra empresa da qual era sócia.

Na altura tudo me passou pela cabeça… estávamos em pandemia, poucas ou nenhumas viagens se faziam, no entanto há 20 anos no sector, pensei… é um risco, mas é isto que eu gosto e me faz feliz e arrisquei.

O nome 4Seasons porque… Natalie precisava, precisávamos todos, de muita sorte, daí o trevo, e porque queria tons ligados ao mar e à tranquilidade, representada pela cor verde-água. E como o trevo tem 4 folhas, as quatro estações… foi assim que nasceu e o nome e o logotipo da nossa agência.

A razão por a agência ser ‘natural’ de Sintra apenas se deve ao facto de Natalie Lopes ser uma sintrense e procurar ter uma melhor qualidade de vida.

– Quem são os sócios da agência?

A 4Seasons nasceu com dois sócios, eu e um grande amigo da família e mais tarde o meu grande suporte, o meu pai.

A 4Seasons faz parte do Grupo Airmet e a razão por ter como parceira a Cintramédica foi por os sócios terem considerado que seria benéfico não só para todos enquanto empresa e também para os nossos clientes terem um protocolo com uma clínica que agiliza todo o processo com os testes PCR, sem os clientes terem essa preocupação. Nós marcamos e pagamos, o cliente só tem de ir fazer o teste. A contrapartida é fácil de adivinhar: todos os trabalhadores da clínica têm condições especiais de viagem com a 4Seasons.

A agência de viagens 4Seasons é maioritariamente uma agência de Outgoing, no entanto tem alguns grupos pontuais para Incoming.

– Com a pandemia a fazer já os seus “estragos” não foi um risco abrir uma agência de viagens?

– Foi, sem dúvida…, mas eu sempre tive de ter coragem em muitas situações difíceis da minha vida. Esta foi só mais uma… pus-me à prova a mim mesma, foi muito duro… muito mesmo, em 2020 para além da agência tive dois outros empregos que os mantive até Maio de 2021…para conseguir levar o barco para frente e aí sim, consegui superar 2021.

Natalie Lopes com mais de duas dezenas de anos de experiência no secor e com clientes que a acompanham hà muitos anos, sabia que a retoma ia demorar mas acreditava – e acredita – que todos iriam voltar a viajar.

– Foi por isso que arrisquei. Como abrimos em época de pandemia não tivemos apoios nenhuns, zero, tive mesmo de ‘me virar sozinha’. A maior vantagem de ter aberto uma nova agência foi o facto de não haver moratórias para pagar tal como as demais ajudas, que foram muito importantes ao nosso sector.

– A poucos dias do final de 2021, pode fazer um balanço de como correu o ano?

– Posso dizer que 2021 foi uma lufada de ar fresco, comparando com 2020 que só quero mesmo esquecer por todos os motivos. O Verão salvou-nos o 2021 sem dúvida. Tínhamos alguma esperança na Passagem do Ano, mas com as novas medidas do Governo houve sem dúvida um retrocesso. Não tivemos cancelamentos mas também não tivemos novos pedidos depois de serem anunciadas as novas medidas. Posso dizer que foi um ano que nos deu esperança e confiança para uma retoma maior e melhor para 2022.

Num balanço geral, a nossa entrevistada diz que o que tinha perspectivado para 2021 ficou muitíssimo perto de ser alcançado. Quanto ao número de clientes é um pouco relativo, uma vez que também trabalhamos gruposmas já começaram a aparecer. Todavia, foi registado um decréscimo no ‘corporate’.

Quanto ao que foi mais vendido em 2021, o destaque vai, sem dúvida, para a Madeira, Açores e a República Dominicana estão no pódio. Depois, o Dubai, Maldivas e Zanzibar.

No que concerne ao próximo ano, Natalie Lopes vê 2022 com bastante confiança, mas longe de se voltar a normalidade.

– Com confiança, até pelo número de reservas que já temos para 2022. A pandemia deu confiança as pessoas para viajar com uma agência de viagens e connosco estão mais seguras.

Luis de Magalhães

————————————————————

 

 

,

error: Content is protected !!