COMPARTILHE

Hoje é quarta-feira, 17 de abril, centésimo sétimo dia do ano.
Dia Mundial da Hemofilia.
Faltam 258 dias para o final de 2019.

Principais acontecimentos registados neste dia

Em 1945, os EUA confirmava 200 ataques suicidas da força aérea japonesa, em Okinawa. Em 1956, era dissolvido o Kominform. Em 1958, era inaugurada a exposição universal de Bruxelas. Em 1961, forças contrárias ao regime de Fidel Castro, apoiadas pelos EUA, invadiam Cuba, pela Baia dos Porcos, acabando derrotadas.

Em 1969, começava a crise académica de Coimbra, com a inauguração do edifício do departamento de Matemáticas da Faculdade de Ciências da Universidade. Em 1979, na Rodésia, negros e brancos votavam em conjunto pela primeira vez para a eleição de um governo de maioria negra.

Em 1986, o Parlamento Europeu condenava os ataques aéreos norte-americanos à Líbia, classificando-os “uma violação flagrante da lei internacional”. Em 1989, morria o escritor português Adolfo Simões Muller. Tinha 79 anos. Em 1992, celebrava-se em Angola, pela primeira vez desde a independência, o feriado religioso de sexta-feira da Paixão.

Em 1993, o Governo português, liderado por Aníbal Cavaco Silva, aumentava a idade de reforma das mulheres de 62 para 65 anos. Em 1995, a multinacional Renault denunciava o contrato de associação com o Estado português. Em 1996, era aprovada a proposta de alteração da Lei de Bases do Sistema Desportivo, que veio permitir aos clubes a constituição de sociedades com fins lucrativos. Na mesma data, morria o filósofo espanhol José Luis Lopez Aranguren. Tinha 86 anos.

Em 1999, milícias pró-integracionistas espalhavam a violência em Timor-Leste. Em 2002, o Tribunal de Monsanto condenava o ex-presidente do Benfica João Vale e Azevedo a quatro anos de prisão, no âmbito do processo sobre a transferência do guarda-redes russo Serguei Ovchinnikov.

Em 2003, morria multimilionário britânico Paul Getty II. Tinha 70 anos. Em 2004, tomava posse o Governo espanhol, liderado por José Luís Zapatero. No mesmo dia, o líder do Hamas, Abdelazizz al-Rantissi, sucessor do xeque Yassin, era assassinado na Cisjordânia, num ataque das forças israelitas.

Em 2005, era inaugurado, em Belmonte, o primeiro Museu judaico português. E o primeiro-ministro cipriota turco Mehmet Ali Talat, pró-União Europeia, vence as eleições presidenciais em Chipre.

Em 2006, verificava-se a greve geral dos funcionários de investigação criminal da Polícia Judiciária. O preço do petróleo atingia o valor mais alto de sempre no mercado de futuros londrino, nos 71,41 dólares o barril, devido à crise iraniana. E a judoca portuguesa Telma Monteiro ascendia ao primeiro lugar do ranking mundial na categoria até 52 kg.

Em 2007, realizava-se em Caracas a I Cimeira Energética Sul-Americana. Os participantes chegavam a consenso para avançar com a Unasul, União de Nações Sul-Americanas. A primeira vacina humana contra a gripe das aves era aprovada pela Agência para a Alimentação e Medicamentos, FDA, entidade reguladora norte-americana. A compositora sul-coreana Hee Yun Kim vencia a 2.ª edição do concurso internacional de composição do Festival Pablo Casals. O arquitecto Nuno Teotónio Pereira era distinguido com o Prémio Aquisição – Arquitectura da Academia Nacional de Belas Artes. Morriam Nair Bello, 75 anos, actriz brasileira; e Kitty Carliste Hart, 96 anos, actriz e cantora norte-americana, heroína de “Uma Noite na Ópera”, dos Irmãos Marx. Morria, aos 60 anos, também Mário Sá, presidente do Leça FC.

Em 2008, morria, aos 94 anos, o poeta Aimé Césaire, natural da Martinica, num hospital em Fort-de-France, onde estava hospitalizado há cerca de uma semana devido a problemas cardíacos. Aimé Césaire foi um dos fundadores do Movimento Negritude, criado depois da II Guerra Mundial e que agregou escritores negros francófonos, entre os quais o senegalês Léopold Sédar Senghor.

Em 2010, o alpinista português João Garcia atingia o cume do Annapurna, de 8091 metros, no Nepal, tornando-se o primeiro português a conseguir chegar ao topo das 14 montanhas do mundo acima dos oito mil metros.

Em 2013, acontecia o primeiro transplante renal cruzado de dador vivo em Portugal, nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Em 2014, morria, aos 87 anos, Gabriel García Marquez, escritor colombiano e prémio Nobel da Literatura.

Em 2015, morria José Mariano Gago, antigo ministro da Ciência e do Ensino Superior. Tinha 66 anos.

Em 2017, morria, aos 68 anos, em Espanha, Carlos Slepoy, advogado argentino que representou as vítimas espanholas dos crimes do regime de Franco.

Em 2018, morria, aos 92 anos, Barbara Bush, mulher do antigo Presidente norte-americano George H. W. Bush e mãe de George W. Bush.