COMPARTILHE

Os estabelecimentos hoteleiros do Algarve registaram cerca de 522 mil hóspedes e perto de 2,3 milhões de dormidas em setembro de 2018, correspondendo a variações acima da média nacional de +3,6% e -0,7%, respectivamente. A informação revelada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indica que as dormidas de residentes aceleraram, com um crescimento mensal de 19,7%, enquanto as pernoitas de não residentes diminuíram 6,1%.

De igual modo, em setembro os proveitos totais cresceram acima da média nacional, na ordem dos 3,3%, e atingiram 143,1 milhões de euros. Os proveitos de aposento cresceram 2,8%, ascendendo a 107,4 milhões de euros. O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 79,1 euros, o que se traduziu num aumento de 1,5%. A estada média (4,38 noites) reduziu-se 4,2% e a taxa-líquida de ocupação-cama (66,2%) recuou 1,4 pontos percentuais.

Segundo o INE, no período de janeiro a setembro a hotelaria algarvia acumula 3,5 milhões de hóspedes (+0,8% face ao período homólogo do ano anterior), os quais realizaram 15,8 milhões de dormidas (-1,8%) e geraram proveitos que totalizam 939,8 milhões de euros (+4,1%).