Início B1 Janeiro a Maio: dormidas na Madeira com quebra de 59%

Janeiro a Maio: dormidas na Madeira com quebra de 59%

As dormidas em alojamento turístico na Madeira tiveram uma quebra de 59,2% nos primeiros cinco meses de 2021 em relação ao mesmo período de 2020, embora Maio já tenha registado crescimento, informou a Direcção Regional de Estatística.

Entre Janeiro e Maio deste ano, houve menos cerca de 593 mil dormidas na região do que no período homólogo de 2020, o que representa quebras de 59,7% nos proveitos totais e de 61,1% nos de aposento.

Se for analisado apenas o mês de Maio, estima-se que tenha havia quase 207 mil dormidas, equivalente a um crescimento de 3.992,8% face ao mesmo mês do ano anterior em que o movimento de hóspedes foi residual devido às medidas restritivas de controlo da pandemia. No entanto, quando comparado com 2019, o número de dormidas em Maio de 2021 não chegou a 30%.

As estimativas referentes a Maio de 2021 revelam que 52,8% dos estabelecimentos do alojamento turístico na região registaram movimento de hóspedes (61,3% da capacidade do alojamento turístico total) neste mês. Analisando por segmento, verifica-se que o turismo no espaço rural foi o que apresentou a maior percentagem de estabelecimentos do seu segmento com movimento de hóspedes (73%), seguido da hotelaria com 60,8% e do alojamento local com 51,5%, segundo a Direcção Regional de Estatística.

Em relação aos mercados emissores, no período de Janeiro a Maio, a maior quebra relativamente a 2020 foi a do mercado britânico, com menos 86,4% de dormidas, seguido do alemão (-68,9%) e do francês (-53,2%), ao passo que o português teve um comportamento inverso, com um crescimento de 30%.

Tendo em conta apenas o mês de Maio, verificam-se aumentos significativos das dormidas provenientes dos mercados britânico, francês, alemão e português.

A estada média no mês de Maio registou uma diminuição relativamente a 2020 (4,81 noites), fixando-se nas 4,12 noites, enquanto a taxa de ocupação em cama do alojamento turístico não ultrapassou os 23,8%, ou seja, 11,5 pontos percentuais acima do observado no mês homólogo de 2020, e a taxa de ocupação em quarto atingiu os 26,6%. Em 2019, estas taxas foram de 61,2% e 68,9%, respectivamente.

No mês em análise, o RevPar rondou os 20,03 euros no conjunto do alojamento turístico (excluindo o alojamento local abaixo das 10 camas), +192,7% que no mesmo mês do ano precedente e +45,5% que no mês anterior. Comparado com os valores de Maio de 2019, o RevPar continua a registar valores significativamente baixos, com uma quebra de 59,9% (49,98 euros em Maio de 2019). Por sua vez, o proveito por quarto utilizado (ADR) passou de 42,57 euros Maio de 2020 para 75,34 euros no mesmo mês de 2021.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here