CTP próximo Governo deve assegurar o crescimento da economia

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP), assumindo que respeita as instituições democráticas e olhando para o actual momento político com serenidade, afirma que é desejável para as empresas que os próximos meses resultem num quadro de estabilidade social e económica que permita que um próximo Governo promova as reformas que são necessárias ao país e se assegure o crescimento da economia.

Nesse sentido, a CTP apela a um quadro político suficientemente estável, em termos de Governo, que assegure o crescimento da economia portuguesa.

Francisco Calheiros, presidente da CTP, citado no comunicado, afirma que ninguém desejava uma crise política, quando a pandemia ainda não está debelada e o país enfrenta uma escalada dos preços da eletricidade e dos combustíveis acrescentando que o importante agora é que se consiga um quadro político suficientemente estável, em termos de Governo, que assegure o crescimento da economia nacional.

Para que haja uma recuperação da actividade turística, a CTP destaca que é necessário que as empresas estejam preparadas e sobretudo estejam capitalizadas, frisando que há medidas fundamentais de capitalização das empresas, instrumentos financeiros, que não saíram do papel e que devem ser prioridade absoluta do próximo Governo.

Acreditando que o ano de 2022 marcará o início da recuperação do turismo e que, em 2023, o cenário será próximo da situação antes da pandemia, Francisco Calheiros explica que para que tal aconteça têm de chegar às empresas com urgência os apoios já aprovados.

Ou seja, que os apoios previstos a nível do Plano de Recuperação e Resiliência, nomeadamente as verbas canalizadas para o Programa Recuperar o Turismo, cheguem efectivamente às empresas.

Para a CTP, as medidas não têm de estar dependentes das circunstâncias políticas actuais.