Início B1 CTP disse ao PR que as empresas do turismo estão exaustas

CTP disse ao PR que as empresas do turismo estão exaustas

O presidente da CTP, Francisco Calheiros, foi claro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e disse que as empresas do turismo estão exaustas e sem reservas, reafirmando a necessidade de novas medidas de apoio para o sector devido ao prolongamento da situação pandémica.

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) reuniu-se esta quarta-feira com o Presidente da República, num encontro que, adiantou Francisco Calheiros, serviu para expressar as preocupações do sector, num momento em que as empresas estão exaustas e já não aguentam mais. Em declarações aos jornalistas, o presidente da CTP pediu mais medidas de apoio, dado que as actuais estão ultrapassadas e gastas.

Reconheceu que o Governo colocou no terreno apoios muito importantes mas sublinhou que todas as medidas que tivemos foram desenhadas para três e seis meses. Em Março faz um ano que a pandemia começou e não vai parar. Portanto, estão ultrapassadas e gastas, disse Francisco Calheiros, à saída do encontro com Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente da CTP disse ter abordado com o Presidente da República questões relacionadas com o lay-off, medida que considera importante para o turismo, mas também o Programa Apoiar, que neste momento viu a sua dotação financeira finalizada, mas com esperança que seja prosseguido pelo bem das empresas e pela salvaguarda do emprego neste sector fortemente abalado pela crise da Covid-19.

Além desta preocupação, a CTP aproveitou a audiência com Marcelo Rebelo de Sousa para falar da necessidade de as moratórias fiscal e financeira serem prolongadas e da criação de medidas de recapitalização das empresas.

– Não podemos continuar a ter empréstimos em cima de empréstimos. São essenciais medidas de capitalização e de apoios a fundo perdido, disse, acrescentando ter também transmitido ao Presidente da República a preocupação da CTP com o facto de as grandes empresas terem sido até aqui excluídas da generalidade dos apoios criados para fazer face ao impacto da pandemia.

Durante esta audiência a CTP apontou ainda o impacto que os números da pandemia da Covid-19 têm tido na imagem e reputação do país, assinalando que muitos turistas escolhem Portugal pela questão da segurança. Esse é um critério que muitos turistas colocam à frente do preço não é apenas de pessoas e bens, é também de segurança sanitária. E neste momento o que é que os nossos clientes vêem? Que nós somos o país que há muito pouco tempo era infelizmente o primeiro do ‘ranking’ quer em número de mortes quer de infectados, disse.

Neste contexto, manifestou o seu receio de que, quando os corredores turísticos abrirem, as pessoas se lembrem deste cenário e que o país demore a recuperar depois de em 2020 ter visto a actividade turística recuar para níveis de 1993, um recuo de 27 anos.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here