Início Opção Turismo CTP aponta falhas na diplomacia sobre corredores aéreos para Portugal

CTP aponta falhas na diplomacia sobre corredores aéreos para Portugal

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros, aponta falhas na diplomacia económica, nomeadamente no que se refere à inclusão de Portugal nos corredores turísticos de vários países europeus, e principalmente em relação a um mercado tão importante para Portugal como é o Reino Unido.

– Nunca fomos fortes na diplomacia económica, e custa-nos um bocado a perceber que não se tenha feito mais, nomeadamente com os corredores turísticos britânicos, no que diz respeito, concretamente, às duas regiões para onde eles gostam mais de se deslocar, como sejam a Madeira e o Algarve, disse Francisco Calheiros, esta quarta-feira (29), à saída de uma reunião no Palácio de Belém com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente da CTP defende a necessidade de uma acção forte de Portugal junto não só do governo do Reino Unido, mas também dos players do turismo britânico. Teríamos que fazer tudo o que é humanamente possível, desde trazermos cá todos os jornalistas, levarmos lá os epidemiologistas, explicar a situação em que estávamos.

O objectivo de Francisco Calheiros é que Portugal volte a ganhar a sua imagem de segurança que sempre teve para ser incluído em mais corredores turísticos que dispensem quarentena no regresso ao país de onde são provenientes os turistas.

Reconhecendo que o mercado interno por si só não pode compensar o ano turístico, o presidente da CTP diz que o país não se pode desarmar, independentemente de não ter grande impacto para o Verão, uma vez que que, na sua opinião, está perdido.

– Em temos normais o turismo interno são 30% das nossas dormidas. E vamos ser claros, há uma crise, disse o responsável, aludindo à menor disponibilidade financeira das famílias para viajar devido às perdas de rendimentos.

Francisco Calheiros lamentou ainda que o gestor António Costa Silva, que elaborou uma visão estratégica para a recuperação económica do país, não tenha tido “oportunidade de falar com ninguém ligado ao turismo”, apesar da disponibilidade da CTP destacando que, sendo o turismo a actividade que mais relançou a economia nos últimos anos e que neste momento está a ser a mais prejudicada, acho que faria sentido.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter