Início Opinião/Crónica Companhias aéreas antecipam forte concorrência em incentivos a viagens

Companhias aéreas antecipam forte concorrência em incentivos a viagens

COMPARTILHE

Em 2021 a concorrência entre companhias aéreas será ainda mais intensa, e vai resultar em fortes incentivos para os clientes voltarem a voar, antecipa a IATA.

As companhias aéreas devem perder 84,3 mil milhões de dólares este ano. A receita total cairá 50%, para os 419 mil milhões de dólares. Segundo estimativas da IATA, em 2021, as perdas diminuirão para 15,8 mil milhões de dólares, enquanto a receita deverá aumentar para 598 mil milhões.

– O desafio para 2022 será converter as perdas reduzidas de 2021 nos lucros que as companhias aéreas precisarão para pagar as suas dívidas com essa terrível crise, disse Alexandre de Juniac, CEO da IATA.

Com fronteiras abertas e possível procura crescente em 2021, a indústria da aviação comercial deverá reduzir as suas perdas para 15,8 mil milhões de dólares.

Em 2021, a concorrência entre as companhias aéreas será, sem dúvida, ainda mais intensa, traduzindo-se em fortes incentivos para que os viajantes voem novamente, estima Juniac.

O número total de passageiros deverá recuperar para os 3, 380 mil milhões e a receita total das transportadoras aéreas deverá chegar aos 598 mil milhões de dólares, mesmo assim, abaixo dos 838 mil milhões, ou seja, menos 29% dos números de 2019.

Alexandre Juniac alerta que, as companhias aéreas continuarão frágeis financeiramente em 2021, estimando que a receita de passageiros será mais de um terço menor que em 2019. Avança até que as companhias aéreas irão perder 5 dólares por passageiro transportado.

 

Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook