CE responde à Lufthansa: regras dos ‘slots’ foram aliviadas

Para a Comissão, os voos fantasma, ou seja, sem passageiros, são maus para a economia e para o ambiente e é por isso que tomámos medidas desde o início da pandemia, informou o porta-voz da Comissão Europeia para a área dos transportes, Stefan de Keersmaecker, em resposta a uma recente informação vinculada à imprensa pela Lufthansa que disse ter sido obrigada a realizar 18 mil voos fantasma, sendo 3.000 efectuados pela Brussels Airlines, para não perder as faixas horárias de aterragem e descolagem.

Stefan de Keersmaecker lembrou ainda que não só as regras para ‘slots foram aliviadas devido à pandemia como também as companhias aéreas podem pedir para não utilizar as faixas horárias.

As regras da UE relativas aos ‘slots’ referem que as companhias aéreas têm de utilizar pelo menos 80% das suas faixas horárias de descolagem e aterragem de modo a mantê-las na temporada seguinte. Porém, devido à pandemia, tal obrigação foi suspensa para evitar também os chamados “voos fantasma”.

Actualmente, está em vigor um alívio às regras comunitárias, estando previsto que as companhias aéreas possam devolver 50% das suas séries de faixas horárias, devendo usar pelo menos 50% das faixas horárias restantes se quiserem mantê-las.