COMPARTILHE

Parte dos bilhetes vendidos para a Aigle Azur (que entrou em insolvência) podem ser reembolsados. Esta é a convicção da AirHelp que remete para as situações em que os ditos (bilhetes) foram vendidos por agências de viagens, de uma companhia aérea parceira ou ainda ou adquiridos através do recurso ao cartão de crédito.

No caso da compra via agência de viagem ou de uma companhia aérea parceria os passageiros têm de verificar se estão cobertos pelos “planos de seguro de viagem, ao passo que, no caso de férias organizadas, a cobertura deve ser garantida”.

No caso de os bilhetes terem sido adquiridos directamente à Aigle Azur e pagos através do recurso ao cartão de crédito a AirHelp aconselha os passageiros a anularem o pagamento antes de este ser creditado. “Mesmo que os montantes já tenham sido debitados, tratando-se de um caso de falência é possível conseguir o reembolso”.

Segundo a AirHelp “o passageiro deve enviar um documento para a respectiva empresa/banco emissora do cartão de crédito, que certifica o pedido mal-sucedido da companhia aérea”. No entanto essa será a única medida possível dado que, “infelizmente, os passageiros da Aigle Azur que sofreram uma perturbação de voo elegível para compensação já não poderão solicitar qualquer indemnização, a menos que o seu voo tenha sido operado por uma companhia aérea diferente”.