Início B1 Alojamento Local com enormes quebras no 2.º trimestre

Alojamento Local com enormes quebras no 2.º trimestre

O DINÂMIA’CET – Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território, do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa realizou recentemente um inquérito junto de 868 868 titulares e gestores de Alojamento Local (AL) do País.

Um dos resultados deste inquérito do ISCTE revela que cerca de 80% dos inquiridos registaram uma queda de facturação superior a 75% durante o 2º trimestre de 2020, face ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com os dados recolhidos, as regiões mais afectadas foram Lisboa (quebra de 93%) e Porto (87, seguindo-se o Algarve (68%).

Fora dos grandes centros urbanos, 56% dos alojamentos registaram menos 75% de facturação, enquanto 13% diz ter conseguido manter os números do ano anterior ou até mesmo aumentá-los.

Outra questão abordada pelo inquérito prendeu-se com a dependência financeira dos titulares e gestores das unidades de AL, com 40% a indicar que o rendimento destes espaços representa mais de metade do rendimento do seu agregado e 38% a afirmar não ter outra profissão.

Quanto às perspetivas para os próximos meses, 46% dos inquiridos acredita que a situação voltará aos níveis pré-pandemia já no próximo ano, 28% pensam ser possível um regresso à normalidade a partir de 2022 e 12% manifestou-se mais pessimista e não acredita que a situação volte a ser como era.

Apesar das perspectivas, 74% dos proprietários tem a intenção de continuar com o AL de curta duração pelo menos até ao final de 2020.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter