COMPARTILHE

A ocupação média por quarto nas unidades de alojamento do Algarve situou-se nos 93,6%, valor que apresenta uma quebra de 0,4% em comparação com o período homólogo de 2018, revelou a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

A principal associação hoteleira algarvia divulgou os dados relativos à ocupação nas unidades de alojamento algarvias no mês passado e destacou que, apesar da cifra ligeiramente abaixo da verificada em 2018 (-0,4%), o volume de vendas teve uma variação positiva de 2,1% em relação ao valor alcançado em agosto do ano transato.

Quanto aos mercados emissores de turistas para o Algarve, o irlandês foi o que apresentou a maior subida, com +26,2%, a larga distância do britânico, cujo aumento se situou nos 2,9%, refere a AHETA. Acrescenta ainda que, em tendência contrária, os dois mercados com maiores descidas registadas foram o “alemão (-19,1%) e o holandês (-5,4%)

Os números recolhidos pelo gabinete de estudos da AHETA e agora divulgados dão também conta da evolução da taxa de ocupação por quarto nos primeiros oito meses de 2019, que se mantém ao mesmo nível do verificado no período homólogo de 2018 (+0,2%).

A AHETA adiantou também que a zona geográfica de Lagos/Sagres foi a que registou a maior descida (-8,1%) na ocupação, porque está, justificou, mais exposta ao mercado alemão, enquanto as restantes zonas geográficas e as diferentes categorias de empreendimentos turísticos registaram oscilações sem expressão significativa.

No que concerne ao volume de vendas aumentou 2,1% face ao mesmo mês do ano anterior e regista um aumento acumulado de +2,7% desde o início do ano.