De acordo com o AHP Tourism Monitors, ferramenta exclusiva de recolha de dados da hotelaria nacional trabalhados mensalmente pela AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, no mês de março de 2018, a nível nacional os hotéis portugueses registaram um crescimento tanto no ARR (preço médio por quarto ocupado) como no RevPAR (preço médio por quarto disponível), com a Costa Azul, Alentejo e Beiras a surpreenderem com o crescimento expressivo da TO e Madeira e Algarve com quebra acentuada neste indicador.

Segundo o AHP Tourism Monitors, março foi um mês assimétrico na hotelaria nacional, tendo a taxa de ocupação quarto crescido 0,5 pontos percentuais (p.p.) face ao período homólogo, atingindo os 65%.

Por destinos turísticos, a Costa Azul foi o que registou o maior crescimento (+12,6 p.p.), seguido das Beiras (+9,3 p.p.) e do Alentejo (+6,1 p.p.). De destacar também a quebra dos destinos Leiria/Fátima/Templários (-6,6 p.p.), Madeira (-4,4 p.p.), Açores (-4 p.p.) e Algarve (-2,2 p.p.).

O preço médio por quarto ocupado (ARR) fixou-se em março nos 78 euros, mais 16% do que no mesmo mês do ano passado, destacando-se Lisboa com a melhor performance (101 euros), seguido do Grande Porto (80 euros) e da Madeira (74 euros).

O preço médio por quarto disponível (RevPAR) fixou-se nos 51 euros, registando um aumento homólogo de 17%, sendo que entre os vários destinos turísticos os crescimentos mais fortes registaram-se nas Beiras (52%), na Costa Azul (45%) e no Alentejo (36%).

Quer no ARR, quer no RevPAR, a categoria de quatro estrelas foi a que registou um crescimento mais expressivo, com aumentos de 17% e 20%, respetivamente.

No que diz respeito à taxa de ocupação, a responsável assinala ainda os resultados negativos dos destinos Leiria/Fátima/Templários (que vinha a crescer há mais de um ano), Madeira (afectada pelos mais de 50 voos cancelados em março e pela quebra de hóspedes dos mercados alemão e inglês devido à redução de voos motivada pela insolvência de algumas companhias aéreas), Açores (em queda desde o início de 2018), e Algarve (“muito provavelmente por força do mau tempo” em março).



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter