Aeroporto de Lisboa lança ‘Biometric Experience’


No contexto da inovação, o Aeroporto de Lisboa acaba de lançar o Biometric Experience , um projecto-piloto que proporcionará a passageiros para destinos dentro e fora da EU, a oportunidade de testar uma nova viagem sem contacto dentro do terminal.

Após o registo, os passageiros procedem à leitura biométrica, e na porta de embarque utilizam apenas o reconhecimento biométrico facial, sem necessidade de apresentarem novamente o seu cartão de embarque e passaporte / documento de identificação.

O novo processo, segundo a ANA-Aeroportos, traz mais valias a vários níveis, uma vez que melhora a flexibilidade operacional nos voos Schengen e Não-Schengen, aumentando a capacidade operacional e ao mesmo tempo a passagem ganha mais tempo e comodidade.

A ‘Biometric Experience ‘ se baseia-se na experiência que a Vinci Airports já tinha adquirido no tema da mobilidade do futuro quando lançada em 2020, o primeiro assistente de viagens biométrico do mundo no aeroporto de Lyon-Saint Exupéry.

Por outro lado, a ANA- Aeroportos e a Vinci têm vindo a desenvolver soluções inovadoras que irão contribuir para a experiência positiva dos passageiros, como a melhoria da informação aos passageiros com o lançamento de um serviço de actualização automática disponível em WhatsApp, Facebook e website. Os passageiros podem verificar a porta de embarque, a hora a que se inicia o embarque ou os restaurantes que estão disponíveis através do novo chatbot do site da ANA, assim como obter rapidamente informação sobre o aeroporto – acessibilidade, restrições ou regras operacionais.

Estas inovações incluem também a criação da nova plataforma digital – U-monitor – que regista o feedback dos passageiros em tempo real através do QR-code. O passageiro pode agora reportar anomalias que encontrar durante a sua passagem pelo aeroporto em tempo real. Este serviço foi recentemente ampliado em diversas áreas do terminal, incluindo parques de estacionamento e salas de embarque de modo a incluir todo o percurso do passageiro.

Passam ainda pela aposta em sistemas avançados de desinfecção com recurso a tecnologia UV no rastreio de segurança, para os tabuleiros e objectos que passam no sistema de raios X, bem como a implementação de um sistema dinâmico para registo como busca de carbono das aeronaves no solo com base no tempo de taxiing e no tipo de motor, entre outras variáveis. Este projecto tem sido desenvolvido de forma colaborativa entre aeroporto e companhias aéreas, que através de uma monitorização mais eficaz levará a redução das baixas de carbono.

error: Content is protected !!