Início Destaques ADHP volta a pedir regulamentação para a profissão de director de hotel

ADHP volta a pedir regulamentação para a profissão de director de hotel

Na sessão de encerramento do XVI Congresso da ADHP, que decorreu em Évora, Raul Ribeiro Ferreira voltou a pedir ao Governo a regulamentação para a profissão de director de hotel.

Na presença da secretária de Estado do Turismo, o presidente da ADHP disse que os directores de hotel continuam tristes com a situação da sua profissão, sem regulamentação. Por isso, continuamos a acreditar que devíamos evoluir para uma Ordem de directores de hotel, pela profissão que temos e pela maneira como nos organizamos. Achamos que esse será o caminho a médio prazo.

Outro ponto que Raul Ribeiro Ferreira destacou no seu discurso de encerramento foi o da formação, e que possa ser cada vez mais reconhecida, realçando também que sabemos que neste momento o importante é salvar as empresas, senão quando a crise acabar não haverá empresas, mas lembrou que as medidas tomadas têm que ser rápidas a entrar. Não temos tempo nem condições de trabalhar na incerteza.

É que, disse, na prática estamos a tomar medidas de gestão sem saber se tudo aquilo que ouvimos na Comunicação Social sobre o apoio extraordinário à retoma progressiva, aprovada em Conselho de Ministros no passado dia 8 de Outubro, é o modelo que vai entrar na totalidade ou não, alertou ainda o dirigente.

Reportando aos debates do congresso de Évora, Raul Ribeiro Ferreira enalteceu que o futuro vai trazer coisas novas, desde logo a forma como os turistas se vão relacionar com os destinos, por isso, na sua opinião, é importante envolver o SNS e os hospitais no turismo e no apoio à segurança sanitária dos destinos turísticos.

A esperança dos directores de hotel é na chegada da famosa ‘bazuca’, e as associações profissionais como a nossa queremos ter um papel cada vez mais relevante neste envolvimento, pois conhecemos os nossos colaboradores, as necessidades dos clientes e somos também a cara de muitas empresas, por isso, temos conhecimento técnico que poucos podem gabar-se do mesmo, reivindicou o presidente da ADHP, destacando a necessidade de uma voz única entre os sectores público e privado.

E quando a crise começar a dar sinais de abrandamento, o dirigente receia o regresso aos velhos problemas: vamos voltar a ter falta de recursos humanos, vão voltar os jovens a sair para o estrangeiro à procura de empregos mais bem pagos. Assim, apela que vamos aproveitar este momento para tentar inverter o processo e tentar segurar as pessoas em Portugal, e reter cá dentro a mão-de-obra mais qualificada.

– É importante que o Governo dê sinais claros sobre a valorização dos recursos humanos nas empresas. Exemplo disso, chamo a atenção para a tabela de requisitos que está há vários anos para ser publicada, em que aí teria algum sinal sobre a importância dos recursos humanos dentro dos hotéis. Isso também valorizava as profissões e a fixação dos mais qualificados, frisou o presidente da ADHP no seu discurso de encerramento.

‘IVAucher’ é sinal muito importante

O presidente da Associação dos Directores de Hotéis de Portugal (ADHP), Raul Ferreira, considerou um sinal muito importante de estímulo ao sector a medida ‘IVAucher, inscrita pelo Governo na proposta do Orçamento do Estado para 2021.

-Acho que é um sinal que o Governo quer dar de estímulo à economia, para dizer que, no fundo, abre mão”de uma parte do dinheiro para estimular o consumo, disse o responsável á margem do final da edição deste ano do Congresso Nacional da ADHP, que decorreu em Évora.

Segundo Raul Ribeiro Ferreira, medidas como esta do ‘IVAucher’ são sinais importantes que o Governo dá ao mercado: ao dizer que temos que consumir cá, não vão para fora é muito importante pelo sinal, não pelo valor financeiro da medida.

No encerramento do congresso, também esteve presente a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, que disse aos jornalistas, a propósito do ‘IVAucher’, estar confiante de que os portugueses vão perceber o que está em causa e retirar daí os respectivos benefícios.

Segundo a governante, um dos dois grandes objectivos do Governo a nível económico tem a ver com a manutenção dos postos de trabalho. Assim, através deste programa de apoio à retoma, entendemos que grande parte destes postos de trabalho no sector podem estar garantidos.

Já a segunda prioridade, tem a ver com instigar confiança, estimular o consumo e, neste caso do ‘IVAucher’, estimular o ressurgimento de turistas nacionais.

Esta, refira-se é uma das medidas inscritas pelo Governo no OE2021 com o objectivo de incentivar o consumo junto de três dos sectores mais afectados com a travagem da actividade económica imposta pela pandemia de covid-19, nomeadamente, a restauração, alojamento e cultura.

Com o ‘IVAucher’ os consumidores poderão acumular o valor correspondente à totalidade (100%) do IVA suportado em gastos naqueles sectores durante um trimestre, e descontá-lo, no trimestre seguinte, em consumos nesses mesmos sectores.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter