Início VIP 60 milhões de euros para operações de ‘sale and lease back’

60 milhões de euros para operações de ‘sale and lease back’

O objectivo é que as entidades que venham a aderir a estas operações possam a prazo recomprar os imóveis, que agora vendem num modelo de ‘sale & lease back´’, e sobre os quais ficam com uma opção de compra entre os 3 e os 15 anos.

Em causa está a possibilidade de venderem os seus activos imobiliários a um fundo de investimento do Estado e manterem-se como inquilinas das suas actuais propriedades, no âmbito de um concurso que vai ser lançado esta terça-feira (16). Parte do valor que as empresas receberem pelos imóveis poderá ser usada em fundo de maneio, para resolver alguns problemas de tesouraria.

A sociedade que gere os fundos de investimento imobiliário do Turismo de Portugal conta com um orçamento de 60 milhões de euros, para investir nesta lógica de ‘sale and lease back’. A única limitação é que só poderão ser comprados imóveis avaliados por peritos certificados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, até 5 milhões de euros – entre os quais hotéis, quintas, ou casas rurais.

Como contrapartida, as empresas que acederem a este apoio terão a obrigação de investir em modernização, eficiência energética ou economia circular.

A Turismo Fundos gere actualmente cinco fundos de investimento. Dois são fundos fechados para empresas do sector do turismo e um terceiro é dedicado aos territórios de baixa densidade. A sociedade gere ainda os activos do Fundo Revive Natureza e o Fundo Imobiliário Especial de Apoio às Empresas, que inclui a indústria. O montante global gerido pela sociedade ascende a 330 milhões de euros.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter