Início B3 1º semestre: quebra no turismo não equilibra balança comercial

1º semestre: quebra no turismo não equilibra balança comercial

A quebra no turismo nos primeiros seis meses deste ano agravou o défice comercial português. A rubrica de turismo e viagens teve um impacto negativo de 845 milhões de euros de acordo com últimos dados do Banco de Portugal (BdP) publicados esta quarta-feira.

Portugal ganhou menos com a venda de serviços nos primeiros seis meses do ano, rubrica que inclui as viagens e turismo, que sofreram um forte impacto no último ano e meio, o que fez com que o défice da balança comercial portuguesa aumentasse no período em análise.

Analisando apenas o mês de Junho, Portugal exportou mais bens e serviços face ao ano passado, com uma variação positiva de 26,3%. A exportação de serviços deu o maior contributo, com uma variação homóloga de 38,4%, seguida da ajuda dada pela venda de bens ao exterior, com uma melhoria de 22% face a Junho do ano passado. Ainda assim, as exportações de serviços em Junho ficaram abaixo das do mesmo mês de 2019, o último mês comparável ainda sem os efeitos da pandemia.

No entanto, quanto a viagens e turismo, o Junho teve um saldo positivo, tendo aumentando 252 milhões de euros. Os créditos desta rubrica, isto é, as ‘exportações’ que Portugal faz com a entrada de turistas, mais do que duplicou, com um crescimento homólogo de 117,3%, ao passo que os débitos, os residentes nacionais que ‘importam’ ao decidirem viajar, aumentaram 63,4% face a Junho de 2020.

Estes dados do Banco de Portugal destacam que tanto as exportações como as importações de viagens e turismo continuam abaixo dos níveis pré-pandemia.



Mais notícias em OPÇÃO TURISMO Siga-nos no FaceBook , Instabram ou no Twitter