Início principal Viagens dos residentes (sobretudo de negócios) ainda abaixo de 2019

Viagens dos residentes (sobretudo de negócios) ainda abaixo de 2019

Em 2023, 51,7% da população residente em Portugal realizou pelo menos uma viagem turística, conforme revela o Inquérito às Deslocações dos Residentes do INE. Este número representa um aumento de 4,0 pontos percentuais em relação a 2022, abrangendo mais 431,9 mil turistas, e totalizando 5,3 milhões de indivíduos. No entanto, este valor ainda é 2,1% inferior ao total registado em 2019, antes da pandemia.

As deslocações turísticas dos residentes alcançaram os 23,7 milhões em 2023, uma variação anual positiva de 4,6%, embora ainda abaixo dos valores de 2019 (-3,2%). Todos os motivos de viagem apresentaram decréscimos em comparação com 2019, sendo mais notáveis nas viagens “Profissionais ou de negócios”, com uma redução de 15,5% (-7,1% dentro do território nacional e -32,8% nas viagens ao estrangeiro).

No total, estas viagens dos residentes geraram mais de 96,5 milhões de dormidas em 2023, um aumento de 2,0% em relação a 2022, mas 2,7% abaixo dos níveis de 2019. A maioria das dormidas ocorreu em Portugal, representando 77,1% do total, comparado a 78,4% em 2022 e 77,6% em 2019. As dormidas em território nacional cresceram ligeiramente (+0,3%), enquanto as dormidas no estrangeiro aumentaram 8,0%, aproximando-se dos números de 2019 (-3,2% e -0,8%, respectivamente).

O “alojamento fornecido gratuitamente por familiares ou amigos” permaneceu como a modalidade de alojamento mais utilizada pelos residentes, totalizando 39,6 milhões de dormidas (41,0% do total). Esta preferência aumentou 1,5 pontos percentuais em relação ao ano anterior e 2,4 pontos percentuais em relação a 2019. Nas viagens nacionais, esta forma de alojamento prevaleceu (44,9% das dormidas), enquanto nas viagens internacionais, os “estabelecimentos hoteleiros e similares” foram os preferidos, representando 53,2% das dormidas.

A despesa média por turista em cada viagem aumentou 4,3% em relação a 2022, atingindo 242,4 euros, um crescimento de 23,9% em comparação com 2019. Nas viagens domésticas, o gasto médio foi de 164,3 euros por turista/viagem, um aumento de 1,1 euros em relação a 2022 e 31,3 euros em relação a 2019. No entanto, nas viagens para o estrangeiro, o gasto médio por turista/viagem diminuiu 2,1% em 2023, embora ainda seja 17,5% superior ao de 2019, totalizando 736,6 euros.