Início principal Estudo McKinsey: Tendências emergentes na Indústria das Viagens

Estudo McKinsey: Tendências emergentes na Indústria das Viagens

12JUN24 – A indústria de viagens está a testemunhar uma recuperação robusta, impulsionada por tendências como o domínio das viagens domésticas, o surgimento de novos mercados turísticos, a influência crescente das redes sociais e da inteligência artificial, e uma maior consciência ambiental. Um estudo recente da McKinsey revela uma visão abrangente sobre o futuro próximo do setor de viagens e hospitalidade.

As viagens domésticas estão a ganhar terreno e prevê-se que representem 70% do total dos gastos com viagens até 2030. Este aumento reflete uma mudança nas preferências dos consumidores que, motivados pela experiência recente da pandemia, optam por explorar destinos mais próximos de casa.

Por outro lado, países como Índia, Sudeste Asiático e a Europa Oriental estão a emergir como importantes fontes de turismo outbound. Estes mercados estão a crescer a uma taxa anual de cerca de 7% a 9%, representando uma oportunidade significativa para a indústria se expandir além dos tradicionais bastiões turísticos.

As plataformas de redes sociais continuam a moldar as decisões de viagem, especialmente entre os mais jovens, com 92% dos viajantes influenciados por conteúdo online. Paralelamente, a inteligência artificial está a revolucionar o planeamento e a experiência de viagem, facilitando a personalização e a assistência durante as viagens através de assistentes digitais e itinerários personalizados.

Com o crescimento do turismo massificado, os destinos mais visitados estão a enfrentar desafios relacionados com a superlotação e o desgaste das infraestruturas. As estratégias para gerir estes fluxos incluem a implementação de sistemas de permissão e a melhoria da capacidade de carga dos destinos para evitar o impacto negativo no ambiente físico e sociocultural.

À medida que a crise climática se intensifica, cresce também a pressão sobre o setor de viagens para reduzir as suas emissões de carbono. Iniciativas de descarbonização estão a ser mais exploradas, com as empresas a incentivar escolhas mais sustentáveis e desenvolvendo novas tecnologias para atingir metas de emissão zero.

O mercado de turismo de luxo está a evoluir rapidamente, atraindo viajantes mais jovens e de rendimentos médios. Estes consumidores procuram experiências de luxo distintas e valorizam tanto a exclusividade quanto os benefícios dos programas de fidelidade.

O estudo foi realizado em fevereiro e março de 2024 e envolveu 5.000 pessoas em cinco regiões: China, Alemanha, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos. Estes indivíduos participaram na pesquisa após terem realizado pelo menos uma viagem de lazer nos dois anos anteriores.