Início noticias Palma de Maiorca: “Turistas, voltem para casa!”

Palma de Maiorca: “Turistas, voltem para casa!”

Javier Barbero, líder de um grupo de protesto em Maiorca, prometeu que as manifestações contra o turismo massificado vão continuar durante o verão. Após ter publicado um vídeo com a etiqueta “Não está à venda”, que se tornou viral ao expressar o descontentamento local com o turismo descontrolado e o aumento dos preços dos imóveis, Javier mobilizou cerca de 25.000 residentes para protestar nas ruas de Palma.

Os manifestantes, que exibiram faixas com os dizeres “Turistas, voltem para casa”, criticam os turistas por inflacionarem os preços dos imóveis e aumentarem o custo de vida na ilha. Está planeada outra marcha para 16 de junho em Palma, e estão a ser discutidos mais protestos em todas as Ilhas Baleares – Maiorca, Ibiza, Menorca e Formentera – para o dia 21 de julho.

Javier afirmou ao jornal britânico Mirror que os protestos continuarão até que medidas sejam tomadas para ajudar a população local. “Não vamos a lugar nenhum até conseguirmos o que queremos. Se isso significa que a economia sofrerá no curto prazo, acho que é um preço que vale a pena pagar pelo futuro a longo prazo das pessoas que vivem aqui”, disse.

O grupo Mallorca Platja Tour também está a convocar os ilhéus a ocuparem as praias durante o verão, em resposta às declarações de um político local, que disse que os maiorquinos não podem esperar frequentar as praias em julho e agosto como no passado, devido ao turismo.

Javier insiste que os protestos não são anti turistas. “Não somos anti turistas, seria um erro pensar assim. Mas acreditamos que o modelo de turismo em massa está a afetar-nos, tanto a vida das pessoas que moram na ilha como em outras áreas. Este modelo não é sustentável de forma alguma”, explicou.

O ativista destacou os danos ambientais causados pelo turismo e a falta de tempo para recuperar as paisagens, o mar e a geografia da ilha, uma vez que as temporadas turísticas estão cada vez mais longas. Javier e outros membros do grupo planeiam uma nova manifestação na sua cidade natal de Sencelles, em Maiorca, reiterando que desejam um turismo assente em sustentabilidade, gentileza e qualidade, e não apenas em quantidade.