Início noticias Leila Tekaia (Turismo da Tunísia): A ambição de chegar aos 50.000 portugueses...

Leila Tekaia (Turismo da Tunísia): A ambição de chegar aos 50.000 portugueses em 2024

16MAI24 – A reposição dos voos da Tunisair entre Lisboa e Tunes, capital da Tunísia, espelha a recuperação do destino no mercado português, mas também indicia uma aposta forte por parte das autoridades turísticas tunisinas. Razão para esta entrevista com a responsável do Turismo da Tunísia para Portugal, Leila Tekaia.

Opção Turismo – Quantos turistas portugueses recebeu a Tunísia em 2023 e como compara com 2019?

Leila Tekaia – Em 2023, a Tunísia recebeu cerca de 40.000 turistas portugueses, o que representa um crescimento significativo de 40% em comparação com os números de 2019. Isso significa que conseguimos ultrapassar amplamente os números de 2019, refletindo um aumento notável no interesse dos portugueses pela Tunísia como destino turístico.

Opção Turismo – Quais as perspetivas para este ano?

Leila Tekaia – Para este ano, estamos com a meta ambiciosa de ultrapassar os 50.000 clientes portugueses, o que seria um novo recorde para nós. Este objetivo, que foi interrompido após o início da primavera árabe, está finalmente ao nosso alcance novamente. Além disso, pretendemos retornar a uma taxa anual de crescimento de 20 a 25% nos próximos cinco anos, consolidando assim nossa recuperação e expansão no mercado português.

Opção Turismo – A retoma dos voos da Tunisair entre Tunes e Lisboa faz crescer as expectativas?

Leila Tekaia – A retoma dos voos diretos entre Tunes e Lisboa pela Tunisair, mesmo que inicialmente limitada a um voo semanal devido à alta densidade no aeroporto de Lisboa, eleva definitivamente as nossas expectativas. Apesar das restrições de horários, este voo semanal é uma oportunidade crucial para reforçar as nossas ações promocionais, facilitar viagens de prospeção e aumentar a visibilidade dos diversos atrativos turísticos da Tunísia junto aos operadores e meios de comunicação portugueses. A longo prazo, esta operação contribuirá para diversificar a nossa clientela, otimizar a distribuição dos fluxos turísticos ao longo do ano e desenvolver o turismo de negócios.

Opção Turismo – Estes voos permitem diversificar a oferta? (sobretudo, tendo em conta que os operadores estão centrados em Djerba, creio)

Leila Tekaia – Sim, os voos diretos entre Lisboa e Tunes permitem de fato uma maior diversificação da oferta turística. Embora a maioria dos operadores se concentre na ilha de Djerba, a ligação aérea para a capital tunisiana abre oportunidades significativas para expandir e enriquecer nossa oferta turística. Isso inclui a promoção de circuitos temáticos no interior e a estadia em estâncias balneares históricas de alta qualidade como Hammamet, Nabeul, Port El Kantaoui, Sousse, Monastir e Mahdia, que oferecem uma rica oferta cultural nas suas proximidades. Assim, podemos não só diversificar a nossa clientela, mas também prolongar a temporada turística, aproveitando ao máximo a capacidade de atração dessas regiões menos exploradas por turistas portugueses.

Opção Turismo – Porque não há charters para Monastir este ano?

Leila Tekaia – Na verdade, a ausência de charters para Monastir este ano não reflete uma limitação da oferta turística da região, que continua a ser extremamente atraente devido à qualidade de sua infraestrutura hoteleira e à proximidade do aeroporto com as zonas turísticas. A decisão de não programar voos charter para Monastir é mais uma questão de logística e de estratégias comerciais dos operadores turísticos, que podem não ter encontrado um equilíbrio ideal em termos técnicos e de capacidade de produção para assegurar essas operações de forma rentável este ano. Nos últimos anos, Monastir foi servida por charters durante os meses de verão, mostrando que é possível. A questão parece centrar-se mais na disponibilidade da frota aérea e no compromisso dos operadores turísticos. Estamos, contudo, empenhados em promover uma diversificação da oferta turística da Tunísia, para que nosso destino não seja percebido como monotemático.

Opção Turismo – Estes voos abrem também possibilidades no sentido Tunísia-Portugal?

Leila Tekaia – Sim, os voos entre Tunes e Lisboa não servirão apenas para transportar turistas portugueses à Tunísia, mas também abrirão oportunidades para operadores tunisianos interessados em promover Lisboa e Portugal como destinos turísticos. Assim, esperamos um fluxo bilateral de turistas, com portugueses explorando as belezas da Tunísia e tunisianos descobrindo as maravilhas de Portugal. Esta operação aérea fortalece a conexão entre os dois países, proporcionando uma excelente oportunidade para ambas as partes aumentarem seus fluxos turísticos e diversificarem suas ofertas turísticas.

Opção Turismo – Este ano foram o Destino Convidado da BTL. Que balanço faz desse estatuto?

Leila Tekaia – Ser o Destino Internacional Convidado na BTL 2023 foi uma honra e proporcionou uma vitrine excecional para a Tunísia. Esta oportunidade não apenas aumentou significativamente a visibilidade da nossa oferta turística, mas também permitiu reposicionar a Tunísia no cenário internacional pós-Covid, num momento crucial para a reativação do nosso setor turístico. A exposição proporcionada pelos recursos de marketing dos organizadores do salão foi inestimável, especialmente considerando que ainda não tínhamos lançado uma campanha publicitária de grande escala. Ser convidado é sempre um privilégio e oferece uma excelente oportunidade de destacar e valorizar nosso destino.

Opção Turismo – Qual a estratégia promocional que vão adotar para maximizar a visibilidade e o atrativo da Tunísia?

Leila Tekaia – A nossa estratégia promocional para elevar a visibilidade da Tunísia será ampla e integrada. Vamos aproveitar os voos existentes para organizar viagens de prospeção e descoberta, convidando jornalistas e influenciadores a experienciar diretamente a diversidade e os atrativos do nosso destino. Estas experiências in situ são cruciais para que possam transmitir autenticamente o potencial da Tunísia aos seus públicos. Paralelamente, estamos a preparar o lançamento de uma ambiciosa campanha publicitária paneuropeia, da qual Portugal será uma peça chave. Esta campanha visa posicionar a Tunísia no topo da mente dos consumidores como um destino de escolha. Claro, todas estas ações são complementadas pelo trabalho junto aos nossos parceiros operadores e agências de viagens especializadas, para garantir que a oferta tunisina seja bem representada e comercializada no mercado.

Opção Turismo – Quais os segmentos de mercado que o turismo tunisino está a priorizar em Portugal?

Leila Tekaia – O turismo tunisino está a diversificar estrategicamente os seus alvos de mercado em Portugal, focando-se em várias áreas chave para atrair uma gama mais ampla de turistas. Priorizamos, sem dúvida, o segmento de famílias, pois já é um mercado bem consolidado, tal como as famosas praias de Djerba. No entanto, estamos também empenhados em expandir nossa oferta para incluir turismo de aventura e atividades ao ar livre, atraindo aqueles que procuram experiências mais dinâmicas e interativas. A gastronomia e a cultura são igualmente centrais na nossa abordagem, oferecendo rotas temáticas que exploram a rica herança culinária e os sítios históricos classificados como património da humanidade. Além disso, estamos a explorar o turismo cinematográfico, aproveitando os locais tunisinos que serviram de cenário para filmes icónicos. Estas iniciativas são complementadas por campanhas segmentadas para cada perfil de cliente, garantindo uma abordagem personalizada e eficaz.

Opção Turismo – Que tipo de parcerias estão sendo desenvolvidas com operadores turísticos e agências de viagem em Portugal para promover a Tunísia como um destino turístico atrativo?

Leila Tekaia – Estamos a desenvolver parcerias estratégicas com operadores turísticos e agências de viagens em Portugal para promover a Tunísia como um destino atrativo. Reconhecemos que os operadores portugueses são extremamente pragmáticos e têm uma noção muito precisa do retorno sobre investimento. Neste contexto, temos colaborado de forma próxima na organização de fam trips e workshops destinados a profissionais de agências de viagem. Embora os programas de publicidade conjunta tenham sido implementados de forma tímida até agora, estamos empenhados em reforçar e expandir estas campanhas. O objetivo é maximizar a eficácia das nossas iniciativas promocionais e garantir que tanto o turismo tunisino quanto os operadores portugueses beneficiem desta colaboração.

Opção Turismo – E quais são os maiores desafios que encontra no desenvolvimento da procura, em Portugal, por este destino?

Leila Tekaia – Um dos maiores desafios que enfrentamos na promoção da Tunísia em Portugal é relacionado à lealdade do cliente português. Os portugueses, conhecidos por sua fidelidade a destinos que apreciam, tendem a retornar às mesmas localidades uma vez que se apaixonam por elas. O nosso desafio é, então, transformá-los em “fiéis-infiéis” – persuadi-los a explorar novas regiões dentro do mesmo país. Queremos que eles se encantem não só com Djerba ou Port-El-Kantaoui, mas que também se aventurem por Kairouan ou pelos encantos dos desertos de sal, das montanhas e das areias saharianas.  O objetivo é fazer com que a fidelidade não se limite a um único lugar, mas se estenda a toda a riqueza cultural e natural que a Tunísia tem a oferecer.

Opção Turismo – Vê alguma possibilidade de o Turismo Tunisino voltar a ter um escritório em Portugal?

Leila Tekaia – Na poesia de Fernando Pessoa, aprendemos que “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”. Este pensamento reflete a minha própria experiência enquanto fundadora do escritório nacional do turismo tunisino em Lisboa, uma época que considero ter sido a era dourada do nosso turismo em Portugal. Apesar de termos visto esse capítulo encerrar, a história, tal como a vida, é feita de ciclos que se sucedem e se renovam. Inspirados por estas palavras de Pessoa e pelo espírito de grandiosidade que elas evocam, vejo cada desafio como uma oportunidade para crescer e reimaginar o nosso futuro conjunto. Guardo a esperança e a crença de que, como muitas histórias que se repetem, também a presença física do turismo tunisino em Portugal possa renascer, trazendo consigo renovadas oportunidades de colaboração e entendimento mútuo.